Vozes e estilos no Subúrbio de Bonassi

Jorge Luís Torresan, Murilo Jardelino da Costa

Resumo


Nosso objetivo, nesse artigo, é discutir sobre a forma como a linguagem foi empregada na construção do romance Subúrbio, de Fernando Bonassi. Um texto em que a bivocalidade é visível, ou seja, um texto em que várias vozes introduzem estilos e discursos diferentes. Para dar conta desse objetivo, fundamentamos nossa análise na concepção dialógica da linguagem do pensador russo Mikhail Mikailovich Bakhtin (1999) e analisamos a obra à luz de sua estilística da enunciação.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18554/ri.v4i2.198

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 ISSN 1981-0601

 Qualis B2 (LINGUíSTICA E LITERATURA/ Quadriênio 2013-2016)