RUAS ALAGADAS E BECOS ESCUROS: PERCURSOS PELA CIDADE NO CONTO BRASILEIRO CONTEMPORÂNEO

Antônio João Galvão de Souza

Resumo


O conto é o gênero que melhor acompanhou as transformações do urbano no século
XX devido a sua brevidade, densidade e concisão de  enredo na representação das
cidades, tanto geograficamente quanto de seus territórios sociais. Assim, tendo como
premissa a representação dos aspectos materiais e imateriais da cidade ser
construída a partir de imaginários que pluralizam o real concreto, tal como lemos em
Chartier (1990); entendendo pelo espaço a percepção e a compreensão dos modos
como o mundo nos atinge, segundo Lotman (1978); e analisando o andar noturno de
personagens pela cidade através de suas trajetórias múltiplas, como sugere Certeau
(1994), debruçamo-nos sobre as práticas e usos metafóricos lidos nos contos “Frio”,
de João Antônio e “Além do ponto”, de Caio Fernando Abreu.  Vemos, nas narrativas
aqui discutidas, discursos privilegiados para captar representações singulares e
também descobrimos sentidos outros nos espaços escuros da cidade brasileira
contemporânea.

Palavras-chave: representação; conto brasileiro contemporâneo; poética do espaço.



Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18554/ri.v1i02.80

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 ISSN 1981-0601

 Qualis B2 (LINGUíSTICA E LITERATURA/ Quadriênio 2013-2016)