TRADIÇÃO E RUPTURA EM LAVOURA ARCAICA

Virgínia Celeste Carvalho da Silva

Resumo


Gaston Bachelard faz uma análise fenomenológica da imagem da Casa: como ela está
impregnada por uma parcela de humano — o que lhe confere significações além de
sua existência material — e como a sensação do sujeito ante esse local tem uma
parcela constitutiva na construção do  poético. Ele propõe uma  topoanálise: reflexão
sobre a espacialidade, ou seja, como no poético a verticalidade e a horizontalidade
espaciais implicam uma simbologia da alma, do espírito e da consciência humana. A
partir dessa leitura, pretende-se estudar a representação da Casa no romance
Lavoura arcaica de Raduan Nassar. Percebe-se que a construção ficcional dá-se de
forma dupla: uma casa símbolo da tradição e outra, em negativo, da ruptura.

Palavras-Chave: Espaço; Imagem; Poético; Ficção.



Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18554/ri.v1i02.81

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 ISSN 1981-0601

 Qualis B2 (LINGUíSTICA E LITERATURA/ Quadriênio 2013-2016)