Vazão, contaminação e revegetação natural em duas nascentes afluentes do Rio Uberaba

Dinamar Márcia da Silva Vieira, Tuânia Alves Cunha André, Jose Luiz Rodrigues Torres, Antônio Carlos Barreto

Resumo


A minimização de impactos ambientais, a melhoria da qualidade da água, a preservação e recuperação os recursos hídricos são alguns dos grandes desafios a serem enfrentados pela natureza e uma tarefa árdua para os seres humanos. Diante deste contexto, este estudo teve como objetivo avaliar a qualidade, quantidade de água e revegetação natural de duas nascentes do IFTM CampusUberaba. Utilizou-se o método do vertedor trapezoidal e triangular para monitoramento da vazão, fez-se a análise microbiológica da água e avaliou-se a revegetação natural da área através de duas imagens do Google Earth. Constatou-se que houve aumento de vazão na nascente da portaria, paralelamente ao aumento da precipitação que ocorreu no período analisado, enquanto que na nascente da agroindústria não ocorreram alterações, mesmo durante o período chuvoso. A água das duas nascentes encontrava-se contaminadas com coliformes totais e termotolerantes no período avaliado. Ocorreu uma regenaração natural de 55% na área.


Palavras-chave


Deterioração ambiental; Morfometria; Uso e ocupação do solo.

Texto completo:

PDF

Referências


ABDALA, V.L.; TORRES, J.L.R; BARRETO, A.C. Análise hidrológica das nascentes da bacia do alto curso do rio Uberaba. Caminhos de Geografia, v.10, n.31, p.171–183, 2009.

ALVARENGA, A.P.; BOTELHO, S.A.; PEREIRA, I.M. Avaliação da regeneração natural na recomposição de matas ciliares em nascentes na região Sul de Minas Gerais. Cerne,v.12, n.4, p. 360-372, 2006.

ANDRADE, E.M.; ARAÚJO, L.F.P; ROSA, M.F.; GOMES, R.B.; LOBATO, F.A.O. Fatores determinantes da qualidade das águas superficiais na bacia do Alto Acaraú-Ceará, Brasil. Revista Ciência Rural, v.37, n.6, nov-dez, 2007.

BAM - Bacteriological analytical manual. 2003. Appendix 2: Most probable number determination for serial dilutions. 8 th edn. Disponível em: < http://www.cfsan.fda.gov> acesso em: 03 abr. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n. 518, de 25 de março de 2004. Estabelece os procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade, e dá outras providências. Brasília: Funasa, 2004.

CONAMA - CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Resolução nº 357 de 17 de março de 2005: Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e da outras providencias.

CRUZ, L.B.S.; PATERNIANI, J.E.S.; CARVALHO, R.M.B. Caracterização e manejo sustentável do solo Na bacia do Rio Uberaba (MG). Revista Caminhos de Geografia, v.4, n.9, p. 31-49, 2003.

EMBRAPA - Serviço Nacional de Levantamento e Conservação de Solos – Levantamento de reconhecimento de meia intensidade dos solos e avaliação da aptidão agrícola das terras do Triângulo Mineiro. Rio de Janeiro, 1982, 562p.

HERMES, L.C; SILVA, A.S. Avaliação da qualidade das águas: manual prático. Brasília – DF, Embrapa Informação Tecnológica, 2004, 55p.

LIMA, E.B.N.R. Modelagem integrada para gestão da qualidade da água na Bacia do Rio Cuiabá. 2001. 184 p. Tese (Doutorado em Recursos Hídricos) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2001.

LEOCÁDIO, C.R. Avaliação hidroambiental da nascente do córrego lanoso que abastece os tanques de piscicultura do IFTM – Uberaba/MG. 30 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2010.

MAGALHÃES JUNIOR, A.P. Indicadores ambientais e recursos hídricos: realidade e perspectivas para o Brasil a partir da experiência francesa. RJ, Bertrand, 2007, 125 p.

PETERS, N.E; MEYBECK, M. Water quality degradation effects on freshwater availability: impacts to human activities. Water International, v.25, n.2, p.214-21, 2000.

PINTO, L.V.A.; BOTELHO, S.A.; DAVIDE, A.C.; FERREIRA, E. Estudo das nascentes da bacia hidrográfica do Ribeirão Santa Cruz, Lavras-MG. Scientia Forestalis, n.65, p.197-206, 2004.

PINTO, L.V.A., BOTELHO, S.A., OLIVEIRA-FILHO, A.T., DAVIDE, A.C. Estudo da vegetação como subsídios para propostas de recuperação das nascentes da bacia hidrográfica do ribeirão Santa Cruz, Lavras, MG.Revista Árvore, v.29, n.5, 775-793, 2005.

SEGOBIA, D.O.L.; DAHDAH, D. F. Diagnóstico ambiental e avaliação da qualidade da água da microbacia do córrego Cocal. 2007. 51 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro, Uberaba-MG, 2007.

SILVA, N.; JUNQUEIRA, V.C.A.; SILVEIRA, N.F.A. Manual de métodos de análisemicrobiológica de alimentos. São Paulo: Livraria Varela, 2007. 295p.

TORRES, J.L.R.; BARRETO, A.C.; PAULA, J.C. Capacidade de uso das terras como subsidio para o planejamento da microbacia do Córrego Lanhoso, em Uberaba (MG). Caminhos de Geografia, v.8, n.24, p. 22-32, dez. 2007.

TORRES, J.L.R.; GUIDOLINI, J.F.; SANTANA, M.G.; SANTOS, E.C.; LAUREANO, M.B.J. Avaliação das características morfológicas e hidrológicas da microbacia do córrego Buracão, afluente do rio Uberaba. Caminhos de Geografia, v.11, n.33, p.157-167, 2010.

VALLE JUNIOR, R.F.; PASSOS, A.O.; ABDALA, V.L.; RAMOS, T.G. Determinação das áreas de preservação permanente na bacia hidrográfica do rio Uberaba-MG, utilizando o sistema de informação geográfica (SIG). Global Science Technology, v. 3, n. 1, p.19 – 29, 2010.




DOI: https://doi.org/10.18554/rbcti.v1i3.3667

Apontamentos

  • Não há apontamentos.