Vazão, contaminação e revegetação natural em duas nascentes afluentes do Rio Uberaba

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18554/rbcti.v1i3.3667

Palavras-chave:

Deterioração ambiental, Morfometria, Uso e ocupação do solo.

Resumo

A minimização de impactos ambientais, a melhoria da qualidade da água, a preservação e recuperação os recursos hídricos são alguns dos grandes desafios a serem enfrentados pela natureza e uma tarefa árdua para os seres humanos. Diante deste contexto, este estudo teve como objetivo avaliar a qualidade, quantidade de água e revegetação natural de duas nascentes do IFTM CampusUberaba. Utilizou-se o método do vertedor trapezoidal e triangular para monitoramento da vazão, fez-se a análise microbiológica da água e avaliou-se a revegetação natural da área através de duas imagens do Google Earth. Constatou-se que houve aumento de vazão na nascente da portaria, paralelamente ao aumento da precipitação que ocorreu no período analisado, enquanto que na nascente da agroindústria não ocorreram alterações, mesmo durante o período chuvoso. A água das duas nascentes encontrava-se contaminadas com coliformes totais e termotolerantes no período avaliado. Ocorreu uma regenaração natural de 55% na área.

Biografia do Autor

Dinamar Márcia da Silva Vieira, Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM) campus Uberaba-MG.

Tecnóloga em Gestão Ambiental pelo pelo Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM) campus Uberaba-MG.

Tuânia Alves Cunha André, Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM) campus Uberaba-MG.

Tecnóloga em Gestão Ambiental pelo pelo Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM) campus Uberaba-MG.

Jose Luiz Rodrigues Torres, Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM) Campus Uberaba.

Professor Titular, Doutor em Agronomia/Produção Vegetal do Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM) Campus Uberaba.

Antônio Carlos Barreto, Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM) Campus Uberaba.

Professor Titular, Doutor em Engenharia Agrícola do Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM) Campus Uberaba

Referências

ABDALA, V.L.; TORRES, J.L.R; BARRETO, A.C. Análise hidrológica das nascentes da bacia do alto curso do rio Uberaba. Caminhos de Geografia, v.10, n.31, p.171–183, 2009.

ALVARENGA, A.P.; BOTELHO, S.A.; PEREIRA, I.M. Avaliação da regeneração natural na recomposição de matas ciliares em nascentes na região Sul de Minas Gerais. Cerne,v.12, n.4, p. 360-372, 2006.

ANDRADE, E.M.; ARAÚJO, L.F.P; ROSA, M.F.; GOMES, R.B.; LOBATO, F.A.O. Fatores determinantes da qualidade das águas superficiais na bacia do Alto Acaraú-Ceará, Brasil. Revista Ciência Rural, v.37, n.6, nov-dez, 2007.

BAM - Bacteriological analytical manual. 2003. Appendix 2: Most probable number determination for serial dilutions. 8 th edn. Disponível em: < http://www.cfsan.fda.gov> acesso em: 03 abr. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n. 518, de 25 de março de 2004. Estabelece os procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade, e dá outras providências. Brasília: Funasa, 2004.

CONAMA - CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Resolução nº 357 de 17 de março de 2005: Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e da outras providencias.

CRUZ, L.B.S.; PATERNIANI, J.E.S.; CARVALHO, R.M.B. Caracterização e manejo sustentável do solo Na bacia do Rio Uberaba (MG). Revista Caminhos de Geografia, v.4, n.9, p. 31-49, 2003.

EMBRAPA - Serviço Nacional de Levantamento e Conservação de Solos – Levantamento de reconhecimento de meia intensidade dos solos e avaliação da aptidão agrícola das terras do Triângulo Mineiro. Rio de Janeiro, 1982, 562p.

HERMES, L.C; SILVA, A.S. Avaliação da qualidade das águas: manual prático. Brasília – DF, Embrapa Informação Tecnológica, 2004, 55p.

LIMA, E.B.N.R. Modelagem integrada para gestão da qualidade da água na Bacia do Rio Cuiabá. 2001. 184 p. Tese (Doutorado em Recursos Hídricos) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2001.

LEOCÁDIO, C.R. Avaliação hidroambiental da nascente do córrego lanoso que abastece os tanques de piscicultura do IFTM – Uberaba/MG. 30 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro, Uberaba, 2010.

MAGALHÃES JUNIOR, A.P. Indicadores ambientais e recursos hídricos: realidade e perspectivas para o Brasil a partir da experiência francesa. RJ, Bertrand, 2007, 125 p.

PETERS, N.E; MEYBECK, M. Water quality degradation effects on freshwater availability: impacts to human activities. Water International, v.25, n.2, p.214-21, 2000.

PINTO, L.V.A.; BOTELHO, S.A.; DAVIDE, A.C.; FERREIRA, E. Estudo das nascentes da bacia hidrográfica do Ribeirão Santa Cruz, Lavras-MG. Scientia Forestalis, n.65, p.197-206, 2004.

PINTO, L.V.A., BOTELHO, S.A., OLIVEIRA-FILHO, A.T., DAVIDE, A.C. Estudo da vegetação como subsídios para propostas de recuperação das nascentes da bacia hidrográfica do ribeirão Santa Cruz, Lavras, MG.Revista Árvore, v.29, n.5, 775-793, 2005.

SEGOBIA, D.O.L.; DAHDAH, D. F. Diagnóstico ambiental e avaliação da qualidade da água da microbacia do córrego Cocal. 2007. 51 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro, Uberaba-MG, 2007.

SILVA, N.; JUNQUEIRA, V.C.A.; SILVEIRA, N.F.A. Manual de métodos de análisemicrobiológica de alimentos. São Paulo: Livraria Varela, 2007. 295p.

TORRES, J.L.R.; BARRETO, A.C.; PAULA, J.C. Capacidade de uso das terras como subsidio para o planejamento da microbacia do Córrego Lanhoso, em Uberaba (MG). Caminhos de Geografia, v.8, n.24, p. 22-32, dez. 2007.

TORRES, J.L.R.; GUIDOLINI, J.F.; SANTANA, M.G.; SANTOS, E.C.; LAUREANO, M.B.J. Avaliação das características morfológicas e hidrológicas da microbacia do córrego Buracão, afluente do rio Uberaba. Caminhos de Geografia, v.11, n.33, p.157-167, 2010.

VALLE JUNIOR, R.F.; PASSOS, A.O.; ABDALA, V.L.; RAMOS, T.G. Determinação das áreas de preservação permanente na bacia hidrográfica do rio Uberaba-MG, utilizando o sistema de informação geográfica (SIG). Global Science Technology, v. 3, n. 1, p.19 – 29, 2010.

Downloads

Publicado

2016-12-18

Como Citar

Vieira, D. M. da S., André, T. A. C., Torres, J. L. R., & Barreto, A. C. (2016). Vazão, contaminação e revegetação natural em duas nascentes afluentes do Rio Uberaba. Revista Brasileira De Ciência, Tecnologia E Inovação, 1(3), 9–16. https://doi.org/10.18554/rbcti.v1i3.3667

Edição

Seção

Artigos Originais