Percepção dos enfermeiros sobre os acadêmicos de enfermagem acerca da sua inserção nos estágios

Jurema Ribeiro Luiz Gonçalves, Álvaro da Silva Santos, Leila Aparecida Kauchakje Pedrosa, Camila Cristina Neves Romanato, Maysa Alvarenga Ferreira, Nara dos Santos Costa, Daniela Sarreta Ignacio, Mariana Mila Guimarães, Judete Silva Nunes, Ryanne Agnes Souza Silva de Oliveira, Fabiano Henrique Oliveira Sabino, Fernanda Lemos Lazarini, Bruna Claúdia Pansani Ferreira, Julia Cristina Molina Silveira, Ketry Kellen Prado Caetano

Resumo


Esse trabalho teve como objetivo conhecer a percepção dos enfermeiros da atenção primária, acerca da inserção dos acadêmicos de graduação em enfermagem nos campos de prática. Trata-se de um estudo qualitativo realizado a partir de questões chaves, com 25 enfermeiros da rede de atenção primária e secundária do Município de Uberaba-MG, em setembro de 2017, com análise através do Discurso do Sujeito Coletivo. Emergiram duas categorias e cinco Discursos do Sujeito Coletivo. Foram reconhecidos pontos positivos e negativos sob a inserção do acadêmico no campo de prática na atenção primária. O acadêmico foi visto como agente de mudança e colaborador no trabalho de equipe e na assistência, sendo os pontos críticos a baixa valorização da atenção primária, a reduzida participação dos enfermeiros no planejamento das atividades e o despreparo e pouco interesse por alguns estudantes. Os enfermeiros percebem a inserção dos acadêmicos de modo favorável, entretanto consideram deficitária a comunicação e integração entre universidade e serviço.

Palavras-chave


tenção primária à saúde; Estudantes de enfermagem; Estágios

Referências


Ministério da Saúde (Br). Política nacional de atenção básica. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2012. 114p.

Ministério da Saúde (Br), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Por uma cultura da paz, a promoção da saúde e a prevenção da violência. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2009. 48p.

Tavares PEN, Santos SAM, Comassetto I, Santos RM, Santana VVRS. A vivência do ser enfermeiro e preceptor em um hospital escola: olhar fenomenológico. Rev Rene [Internet]. 2011 [citado em 03 maio 2018]; 12(4):798-807. Disponível em: http://periodicos.ufc.br/rene/article/view/4344

Botti SHO, Rego S. Preceptor, supervisor, tutor e mentor: quais são seus papéis? Rev Bras Educ Med. [Internet]. 2008 [citado em 03 maio 2018]; 32(3):363-73. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v32n3/v32n3a11.pdf

Marran AL, Lima PG, Bagnato MHS. As políticas educacionais e o estágio curricular supervisionado no curso de graduação em enfermagem. Trab Educ Saúde [Internet]. 2015 [citado em 03 maio 2018]; 13(1): 89-108. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tes/v13n1/1981-7746-tes-1981-7746-sip00025.pdf

Lefevre F, Lefevre AMC. Pesquisa de representação social: um enfoque qualitativo: a metodologia do discurso do sujeito coletivo. 2ed. Brasília, DF: Liberlivro Editora; 2012.

Lefevre F, Lefevre AMC. Discurso do sujeito coletivo: representações sociais e intervenções comunicativas. Texto & Contexto Enferm. 2015; 23(2):502-7.

Souza DJ, Faria MF, Cardoso RJ, Contim D. Estágio curricular supervisionado sob a óptica dos enfermeiros supervisores. Rev Enferm Atenção Saúde [Internet]. 2017 [citado em 03 maio 2018]; 6(1):39-51. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/enfer/article/view/1677

Rossi NF, Fortuna CM, Matumoto S, Marciano FM, Silva JB, Silva JS. As narrativas de estudantes de enfermagem nos portfólios do Estágio Curricular Supervisionado. Rev Eletrônica Enferm. [Internet]. 2014; [citado em 03 maio 2018]; 16(3):566-74. Disponível em: http://revistas.ufg.br/index.php/fen/article/view/25691

Marchioro D, Ceratto PC, Bitencourt JVOV, Martini JG, Silva Filho CC, Silva TG. Estágio curricular supervisionado: relato dos desafios encontrados pelos (as) estudantes. Arq Ciênc Saúde UNIPAR. [Internet]. 2017; [citado em 03 maio 2018]; 21(2):119-22. Disponível em: http://www.revistas.unipar.br/index.php/saude/article/view/5912. DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v21i2.2017.5912

Rigobello JL, Bernardes A, Moura AA, Zanetti ACB, Spiri WC, Gabriel CS. Estágio curricular supervisionado e o desenvolvimento das competências gerenciais: a visão de egressos, graduandos e docentes. Esc Anna Nery Rev Enferm. [Internet]. 2018 [citado em 03 maio 2018]; 22(2):e20170298. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v22n2/pt_1414-8145-ean-2177-9465-EAN-2017-0298.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2017-0298

Padilha MICS. Análise crítica das causas de integração e/ou desintegração docente assistencial na enfermagem. Rev Gaúch Enferm. 1991; 12(1):33-7.

Trevisan D, Minzon DT, Testi CV, Ramos NA, Carmona, EV, Silva EM. Formação de enfermeiros: distanciamento entre a graduação e a prática profissional. Ciênc Cuid Saúde [Internet]. 2013[citado em 03 maio 2018]; 12(2):331-7. Disponível em: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/viewFile/19643/pdf




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v7i2.3736

Apontamentos

  • Não há apontamentos.