ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO SOB A ÓPTICA DOS ENFERMEIROS SUPERVISORES

Delvane José de Souza, Maila Fidalgo De Faria, Ricardo Jader Cardoso, Divanice Contim

Resumo


Objetivos: Identificar a opinião dos enfermeiros supervisores do estágio hospitalar acerca dos fatores que dificultam sua atuação durante a supervisão; identificar qual a importância do estágio supervisionado para os enfermeiros e verificar a percepção dos enfermeiros quanto à sua participação durante a disciplina de estágio curricular supervisionado hospitalar. Método: Estudo exploratório descritivo com abordagem qualitativa, realizado em um hospital de ensino de uma cidade do Triângulo Mineiro. Foram entrevistados enfermeiros que já atuaram como supervisores de estágio por meio de entrevista semiestruturada seguido de Análise de Conteúdo. Resultados: Emergiram das falas sete categorias intituladas como: preparo profissional, importância do estágio, dificuldades e facilidades, despreparo, atribuições, opinião e sugestões e responsabilidade de supervisionar. Conclusão: O estágio supervisionado é fundamental para a formação acadêmica, porém há um desconhecimento de alguns enfermeiros sobre o papel de supervisor dificultando a supervisão, aspecto que deve ser amenizado para a melhoria da formação profissional.

 


Texto completo:

PDF PDF ENGLISH

Referências


Ministério da Educação (BR). Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES n. 3, de 7 de novembro de 2001 (BR). Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Enfermagem. Diário Oficial da União. Brasília (DF), 9 de nov 2001, Seção 1: 37

Rodrigues AMM, Freitas CHA, Guerreiro MGS, Jorge MSB. Preceptorship in the perspective of comprehensive care: conversations with nurses. Rev gaúcha enferm. 2014; 35 (2): 106-12. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2014.02.43946

Lei 11788, de 25 de setembro de 2008 (BR). Dispõe sobre o estágio de estudantes. Diário Oficial da União, Brasília (DF). 25 setembro 2008.

Universidade Federal do Triângulo Mineiro (MG). Projeto pedagógico. Curso de Graduação em Enfermagem. Uberaba (MG): Universidade Federal do Triângulo Mineiro; 2009.

Benito GAV, Tristão KM, Paula ACSF, Santos MAS, Ataide LJ, Lima RCD. Desenvolvimento de competências gerais durante o estágio supervisionado. Rev bras enferm. 2012; 65(1): 172-78. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672012000100025

Lima TC, Paixão FRC, Cândido EC, Campos CJG, Ceolim MF. Estágio curricular supervisionado: análise da experiência discente Rev bras enfern. 2014; 67(1): 133-40. doi: http://dx.doi.org/10.5935/0034-7167.20140018

Bardin, L. Análise de conteúdo. Edição 70. São Paulo: Revista e Ampliada; 2011.

Conceição VM, Dutra CDT, Pires CAA, Silva IV, Duartes JLS. Experiências de acadêmicos após estágio em um serviço na atenção primária à saúde. Revista de Enfermagem e Atenção à Saúde. 2012 [acesso em: 20 mai 2016] 1(1): Disponível em: http://www.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/enfer/article/view/290/282

Marran AL, Lima PG, Bagnato MHS. As políticas educacionais e o estágio curricular supervisionado no curso de graduação em enfermagem. Trab. educ. saúde. 2015 [acesso em: 20 mai 2016]; 13(1): 89-108. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tes/v13n1/1981-7746-tes-1981-7746-sip00025.pdf

Umann J, Guido LA, Silva RM. Estresse, coping e presenteísmo em enfermeiros que assistem pacientes críticos e potencialmente críticos. Rev Esc Enferm USP. 2014; 48(5):891-98. doi:10.1590/S0080-623420140000500016

Rodrigues LMS, Tavares CMM. Estágio supervisionado de enfermagem na atenção básica: o planejamento dialógico como dispositivo do processo ensino-aprendizagem. Rev RENE. 2012 [acesso em: 20 mai 2016]; 13(5):1075-83. Disponível em: http://www.revistarene.ufc.br/revista/index.php/revista/article/viewFile/62/pdf

Tavares PEN, Santos SAM, Comassetto I, Santos RM, Santana VVRS. A experiência de enfermeiras assistenciais com estudantes de enfermagem: uma análise fenomenológica. Rev RENE. 2011; 12 (4): 798-807. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342009000300005

Garcia SD, Vannuchi MTO, CiciliatoCZ, Ignotti BS. Academia e serviços de saúde na consolidação do internato de enfermagem. Semina cienc biol saúde. 2015 [acesso em: 20 mai 2016]; 36 (1): 123-36. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/seminabio/article/view/19152/16966

Barlem JGT, Lunardi VL, Barlem ELD, Bordignon SS, Zacarias CC, Filho WDL. Fragilidades, fortalezas e desafios na formação do enfermeiro. Esc Anna Nery. 2012; 16 (2):347-53. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-81452012000200020

Sales PRS, Marin MJS, Filho CRS. Integração academia-serviço na formação de enfermeiros em um hospital de ensino. Trab. Educ. Saúde. 2015; 13 (3): 675-93. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1981-7746-sip00057

Resolução Cofen nº. 441, de 15 de maio de 2013 (BR). Dispõe sobre participação do Enfermeiro na supervisão de atividade prática e estágio supervisionado de estudantes dos diferentes níveis da formação profissional de Enfermagem. Diário Oficial da União, Brasília (DF). 15 Maio 2013.

Resolução nº001 de 21 de maio de 2003, da Congregação (MG). Modifica o Regulamento do estágio Supervisionado do Curso de Graduação em Enfermagem. Sala da Congregação, Uberaba (MG). 21 Maio 2003.




DOI: https://doi.org/10.18554/reas.v6i1.1677

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/