Estudo do conforto térmico devido à ventilação natural em salas de aula do Bloco C - ICTE/UFTM

Autores

  • Anderson Antonio Ubices de Moraes Universidade Federal de São Carlos, UFSCar
  • Guilherme Azevedo Oliveira Universidade Federal do Triângulo Mineiro, UFTM
  • Juliane Cristina de Oliveira Fandi Universidade Federal do Triângulo Mineiro, UFTM
  • Simone Cristina Jesus de Moraes Universidade Federal do Triângulo Mineiro

DOI:

https://doi.org/10.18554/rbcti.v6i2.4898

Palavras-chave:

Conforto térmico adaptativo, Energy Plus, POC, Ventilação natural.

Resumo

O uso da ventilação natural é uma excelente técnica de climatização passiva de ambientes internos por promover condições térmicas confortáveis para seus ocupantes e reduzir o uso de energia elétrica pelos sistemas mecânicos de condicionamento. Neste trabalho, estudou-se a efetividade da ventilação natural de um conjunto de laboratórios e salas de aulas localizadas na cidade de Uberaba-MG durante um ano típico. As simulações térmicas dos ambientes foram realizadas pelo programa Energy Plus, enquanto se adotou o modelo de conforto térmico adaptativo e avaliação da efetividade pela porcentagem de horas ocupadas em conforto térmico (POC). Os principais parâmetros variados durante as simulações foram as cargas térmicas internas dos ambientes e a possibilidade de fechamento de portas e janelas em 6 distintas configurações. Os resultados mostram que a inserção das cargas térmicas internas pode variar consideravelmente o POC permitindo reduções do nível de eficiência de até 34%. Dos 21 ambientes analisados, na melhor configuração da ventilação natural, 14 apresentaram a pior eficiência possível obtendo etiqueta nível E, enquanto os demais tiveram POC inferiores a 51%, que demonstra a necessidade de uso de sistemas artificiais de climatização para garantir o conforto térmico dos ambientes no tempo restante de ocupação.

Referências

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 15220 partes I a V. Rio de Janeiro, 2003.

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas. Desempenho Térmico de Edificações. NBR 15.220, p. 30, 2005.

ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas.. NBR 16401 I, II e III. Rio de Janeiro, 2008.

AFLAKI, A.; MAHYUDDIN, N.; MAHMOUD, Z. A.; BAHARUM, M. R. A review on natural ventilation applications through building façade components and ventilation openings in tropical climates. Energy and Buildings, v. 101, p. 153–162, 2015. DOI: https://doi.org/10.1016/j.enbuild.2015.04.033.

ALBUQUERQUE, P. D. Simulação Computacional de um Sistema de Ventilação Natural para uma Torre de Escritórios em Lisboa Simulação Computacional de um Sistema de Ventilação Natural para uma Torre de Escritórios em Lisboa. Dissertação (Mestrado em Engenharia da Energia e do Ambiente) - Faculdade de Ciências, Universidade de Lisboa, Lisboa, 2014.

ASHRAE 55. Standard 55 - Thermal Conditions for Human Ocuppancy. Atlanta, 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1007/0-387-26336-5_1680.

BAVARESCO, V. M.; GHISI, E. Métodos de avaliação de eficiência energética por consumo global e energia primária. Florianopolis, 2016. Disponível em: http://cb3e.ufsc.br/sites/default/files/downloads/201602_Bavaresco_Ghisi.pdf.

BECCALI, M.; STRAZZERIB, V.; GERMANÀ, M. L.; MELLUSO, V.; GALATIOTO, A. Vernacular and bioclimatic architecture and indoor thermal comfort implications in hot-humid climates: An overview. Renewable and Sustainable Energy Reviews, v. 82, p. 1726–1736, 2018. DOI: https://doi.org/10.1016/j.rser.2017.06.062.

BRASIL. ELETROBRÁS. Avaliação do mercado de eficiência energétca do Brasil - sumário executivo - ano base 2005. Avaliação do mercado de eficiência energética do Brasil. Brasília, 2007. 77 p.

BRASIL. ELETROBRÁS /PROCEL. Manual para Aplicação do RTQ-C 4.1. Brasília, 2013. 213 p.

BRASIL. MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA (MME). Balanço Energético nacional 2016: Ano base 2015. Brasilia: MME, 2016. 61 p.

BRASIL. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (MMA). Memorial de simulação e relatório das propriedades térmicas - Parte 2. Brasilia: MMA, 2015. 76 p. Disponível em: http://www.mma.gov.br/images/arquivos/clima/energia/edificios/retrofit/Parte 2 - simulacao.pdf

CASTAÑO, H. F. M. Impacto de dispositivos de sombreamento externos e muro na ventilação natural e no desempenho térmico de uma habitação de interesse social térrea. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Instituto de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2017.

CREDER, H. Instalações de ar condicionado. 6. ed. Rio de Janeiro, 2012. E-book.

DE VECCHI, R. Condições de conforto térmico e aceitabilidade da velocidade do ar em salas de aula com ventiladores de teto para o clima de Florianópolis/SC. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) –Centro Tecnológico, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.

FROTA, A. B.; SCHIFFER, S. R. Manual de conforto Térmico. 5. ed. São Paulo: Nobel, Studio, 2001. E-book.

GUIDETTI, G. E. C. B. Estudo de climatização por compressão à vapor e resfriamento evaporativo no restaurante universitário do ICTE-UFTM. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Mecânica) – Departamento de Engenharia Mecânica, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, MG, 2016.

HUMPHREYS, M. Field studies of thermal comfort compared and applied. Journal of the Institution of Heating and Ventilating Engineers, v. 44, p. 176–180, 1976.

LEITE, L. M. et al. Desenvolvimento de banco de dados para o programa SOL-AR a partir de dados climáticos INMET 2016. In: IV WIPEX, São Carlos: IFSC, 2019. p. 8–11.

LUCAS, R. E. C.; DA SILVA, L. B. Conforto ambiental em sala de aula: análise da percepção térmica dos estudantes de duas regiões e estimação de zonas de conforto. Revista Produção Online, v. 17, n. 3, p. 804, 2017. DOI: https://doi.org/10.14488/1676-1901.v17i3.2547.

MANZANO-AGUGLIARO, F.; MONTOYA, F. G.; SABIO-ORTEGA, A.; GARCÍA-CRUZ, A. Review of bioclimatic architecture strategies for achieving thermal comfort. Renewable and Sustainable Energy Reviews, v. 49, p. 736-755, 2015. DOI: https://doi.org/10.1016/j.rser.2015.04.095.

MITCHELL, J. W.; BRAUN, J. E. Príncipios de aquecimento, ventilação e condicionamento de ar em edificações. 1a. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2018. E-book.

PAULSE, P. de C. Análise do desempenho termoenergético de escolas públicas segundo aplicação do RTQ-C para a envoltória. Dissertação (Mestrado em Projeto e Cidade) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.

PEREIRA, H. A. da C. et al. Manual de simulação computacional de edifícos naturalmente ventilados no programa EnergyPlus. In: Florianópolis: [s. n.], 2013. p. 56. E-book.

RORIZ, M. Conforto térmico em edificações. In: II Fórum Pró-Sustentabilidade. Novo Hamburgo, 2008. 63 p.

SILVEIRA, F. M. Análise Do Desempenho Térmico De Edificações Residenciais Ventiladas Naturalmente: NBR15575 E ASHRAE 55. Dissertação (Mestrado em Engenharia e Arquitetura) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2014.

TAVARES, L. R. Eficiência Energética em Edificações: aplicação do RTQ-C – Requisitos Técnicos da Qualidade para o Nível de Eficiência Energética de Edifícios Comerciais, de Serviços e Públicos - na cidade de Uberlândia-MG. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade de Brasilira, Brasilia, 2011.

Downloads

Publicado

2021-07-07

Como Citar

Ubices de Moraes, A. A., Oliveira, G. A., Fandi, J. C. de O., & Moraes, S. C. J. de. (2021). Estudo do conforto térmico devido à ventilação natural em salas de aula do Bloco C - ICTE/UFTM. Revista Brasileira De Ciência, Tecnologia E Inovação, 6(2), 78–94. https://doi.org/10.18554/rbcti.v6i2.4898

Edição

Seção

Artigos Originais