Chamada de artigos - Dossiê "A educação Sul-Sul em uma perspectiva crítica: diáspora, identidades e pedagogias decoloniais"

Organizadores
Prof. Dr. Alessandro Tomaz Barbosa (UFT)
Prof.ª Dr.ª Suzani Cassiani (UFSC)


O dossiê “Educação Sul-Sul em uma perspectiva crítica: diáspora, identidades e pedagogias decoloniais” tem como objetivo promover (des)encontros entre pesquisas desenvolvidas com/sobre o Sudeste Asiático, África e América Latina.

Nesta proposta de dossiê temático, buscamos reunir pesquisas que apontam para uma perspectiva educacional Sul-Sul. Assim, enfatizamos a valorização dos conhecimentos produzidos no Sul global na constituição da identidade e da história dos países ex-colônias.

O Sul global compreende os países localizados em diferentes regiões do mundo que foram submetidos ao colonialismo europeu e que não atingiram níveis de desenvolvimento econômico semelhantes ao do Norte global (Europa e América do Norte). Entretanto, conforme Meneses (2014), a sobreposição não é total porque, se por um lado, no interior do Norte geográfico vastos grupos sociais estiveram e estão sujeitos à dominação capitalista e colonial, por outro lado no interior do Sul geográfico houve sempre as “pequenas Europas”, pequenas elites locais que se beneficiaram da dominação capitalista e colonial e que, depois das independências, a exerceram e continuam a exercê-la, por suas próprias mãos, contra as classes e grupos sociais subordinados.

Reconhecendo a pluralidade no Sul global, buscamos superar o modelo tradicional de educação que, de forma verticalizada, se configura como uma “ajuda” oferecida pelos países do Norte para o Sul. Isso é possível observar por meio da violência epistêmica, em que modelos educacionais de alguns países, seguindo a lógica da colonialidade, são importados de forma anti dialógica para impor uma única forma de compreender e está no mundo. Consequentemente, assistimos a predominância epistemológica eurocêntrica (uma única forma de ler o mundo), de modo, que subalterniza, folcloriza e silencia conhecimentos e práticas produzidos em territórios que foram colonizados.

Nesse contexto, a educação Sul-Sul em uma perspectiva crítica é construída mediante a articulação horizontal entre os conhecimentos e as práticas produzidas e desenvolvidas no Sul global. Desse modo, este dossiê temático reunirá pesquisas que discutem e buscam soluções para problemas que lhes são comuns, promovendo trocas de experiências e olhares. A Educação Sul-Sul, proposta neste dossiê, consolida-se numa perspectiva crítica ao problematizar a universalização do Sul global, fundamentando-se no questionamento que chamou de “Batalha pela Epistemologia Timoriana”, o professor e intelectual timorense Antero Silva (2016) coloca que: “a herança colonial foi profundamente internalizada pela nossa educação e o conhecimento dos países colonizadores subalternizou os conhecimentos nativos. A reclamação dominante hoje em dia no Timor é o processo de aculturação dos valores religiosos e das línguas locais, por imposição de uma alfabetização pautadas na cultura greco romana, questões simbólicas do colonialismo Português” (p. 159).

Assim, compreendendo o Sul global constituído por diferentes pontos de vistas teórico-práticos e aspectos específicos (contexto histórico, político, econômico, ambiental e científico) dos loci de enunciação das pesquisas, problematizamos a importação acrítica de modelos de currículos, a universalização de epistemes produzidas em países do norte global e o apagamento das histórias dos povos brutalmente colonizados, subalternizados e silenciados atualmente pelas “estruturas do sistema-mundo capitalista moderno/colonial” (GROSFOGUEL, 2008, p. 126).

Nessa direção, organizaremos as pesquisas em três tópicos: I. Sudeste Asiático: Timor-Leste; II. Contextos Africanos; III. Pesquisas desenvolvidas na América Latina.

Cronograma de atividades:
15/10/2020 a 15/12/2020 - Recebimento de trabalhos
01/2021 a 03/2021 - Avaliação dos pares
05/2021 a 05/2021 - Revisão dos autores
07/2021 - Publicação do número

As contribuições devem ser encaminhadas pelo e-mail da revista (cadernoscimeac@gmail.com) e pelo sistema SEER. No envio por e-mail, o(a) autor(a) deve informar que se trata de uma contribuição ao dossiê "A educação Sul-Sul em uma perspectiva crítica: diáspora, identidades e pedagogias decoloniais". Ao submeter o texto pelo sistema, o(a) autor(a) deve selecionar, na indicação da seção de publicação (logo no primeiro passo da submissão), a aba "Artigos do dossiê". Todos os textos devem seguir as regras publicadas nas diretrizes para autores. Textos que não cumprirem os procedimentos da chamada pública não serão avaliados.