ORIENTAÇÃO SEXUAL PARA ADOLESCENTES: CONHECIMENTO E PRÁTICA DE DOCENTES DAS ESCOLAS PÚBLICAS

João Paulo Assunção Borges, Maria Cristina de Moura-Ferreira

Resumo


Objetivos: caracterizar e descrever a produção científica acerca do conhecimento e da prática de docentes das escolas públicas sobre orientação sexual. Métodos: trata-se de revisão integrativa da literatura, por meio da pesquisa de artigos nacionais nas bases de dados científicos. Foram encontrados 14 trabalhos publicados entre 2005 e 2014, utilizando-se os seguintes descritores: sexualidade; educação sexual; adolescente; e docente. Foi utilizado formulário para coleta de dados em pesquisa bibliográfica, para levantamento e organização dos artigos. Resultados: a produção científica nacional trata das dificuldades apontadas pelos docentes no processo de orientação sexual, aborda as metodologias utilizadas e os temas mais solicitados pelos alunos. Conclusão: a orientação sexual para adolescentes requer investimentos na formação profissional dos docentes, proporcionando o acesso ao conhecimento científico produzido sobre sexualidade, sendo necessárias novas pesquisas sobre as dificuldades referidas pelos docentes.


Texto completo:

PDF

Referências


Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental (BR). Orientação Sexual. Brasília: Ministério da Educação; 2005.

Jardim DP, Brêtas JRS. Orientação sexual na escola: a concepção dos professores de Jandira – SP. Rev Bras Enferm. 2006; 59(2): 157-62.

Marola CAG, Sanches CSM, Cardoso LM. Formação de conceitos em sexualidade na adolescência e suas influências. Psicol. Educ. 2011; 33: 95-118.

Souza MM, Brunini S, Almeida MAM, Munari DB. Programa educativo sobre sexualidade e DST: relato de experiência com grupo de adolescentes. Rev Bras Enferm. 2007; 60(16): 102-5.

Murakami JK, Petrilli JF Jr, Telles PCP Jr. Conversando sobre sexualidade, IST e Aids com adolescentes pobres. Rev. Latino-Am. Enferm. 2007; 15Esp1: 864-6.

Fonseca ADD, Gomes VLDO, Teixeira KC. Percepção de adolescentes sobre uma ação educativa em orientação sexual realizada por acadêmicos (as) de enfermagem. Esc. Anna Nery. 2010; 14(2): 330-7.

Costa LHR, Coelho ECA. Enfermagem e sexualidade: revisão integrativa de artigos publicados na Revista Latino-Americana de Enfermagem e na Revista Brasileira de Enfermagem. Rev. Latino-Am. Enfermagem [Internet]. 2011 [acesso em: 10 fev. 2014]; 19(3): [10 telas]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v19n3/ pt_24. pdf

Moura Ferreira MC. Formulário para Coleta de Dados em Pesquisa Bibliográfica. 2008 01 p [mimeografado].

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão Integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na Enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2008; 17(4): 758-64.

Oliveira TC, Carvalho LP, Silva MA. O enfermeiro na atenção à saúde sexual e reprodutiva dos adolescentes. Rev. Bras. Enferm. 2008; 61(3): 306-11.

Moura GR, Pedro EN. Adolescentes portadores de deficiência visual: percepções sobre sexualidade. Rev. Latino-Am. Enferm. 2006; 14(2): 220-6.

Borges ALV, Nichiata LYI, Schor N. Conversando sobre sexo: a rede sócio-familiar como base de promoção da saúde sexual e reprodutiva de adolescentes. Rev. Latino- Am. Enferm. 2006; 14(3): 422-7.

Coelho MMF, Torres RAM, Miranda KCL, Cabral RL, Almeida LKG de, Querioz MVO. Educação em saúde com adolescentes: compartilhando vivências e reflexões. Ciênc. cuid. Saúde. 2012; 11(2): 390-395.

Mandú ENT. A expressão da necessidade no campo de atenção básica à saúde sexual. Rev. Bras. Enferm. 2005; 58(6): 703-9.

França ISX, Baptista RS. A construção cultural da sexualidade brasileira: implicações para a enfermagem. Rev. Bras. Enferm. 2007; 60(2): 202-6.

Beserra EP, Araújo MFM, Barroso MGT. Promoção da saúde em doenças transmissíveis: uma investigação entre adolescentes. Acta Paul. Enferm. [internet]. 2006 [acesso em: 10 fev 2014]; 19(4): 402-07. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v19n4/v19n4a06.pdf.

Romero KT, Medeiros EHG, Vittale MSS, Wehba J. O conhecimento das adolescentes sobre questões relacionadas ao sexo. Rev. Assoc. Med. Bras. 2007; 53(1): 14-19.

Almeida ACCH, Centa ML. A família e a educação sexual dos filhos: implicações para a enfermagem. Acta Paul Enferm. 2009; 22(1): 71-6.

Taquette SR, De Vilhena MM, De Paula MC. Doenças sexualmente transmissíveis na adolescência: estudo de fatores de risco. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. 2004; 37(3): 210-214.

Moizes JS, Bueno SMV. Compreensão sobre sexualidade e sexo nas escolas segundo professores do ensino fundamental. Rev. Esc. Enferm. USP [internet]. 2010 [acesso em: 10 fev 2014]; 44(1): 205-212. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v44n1/a29v44n1.pdf

Beserra EP, Torres CA, Barroso, MGT. Dialogando com professores na escola sobre sexualidade e Doenças Sexualmente Transmissíveis. Rev. Rene. 2008; 9 (4): 151-157.

Murta SG, Rosa IO, Menezes JCL, Rieiro MRS, Borges OS, Paulo SG, Oliveira V, Ribeiro DC, Prette AD, Prette ZD. Direitos sexuais e reprodutivos na escola: avaliação qualitativa de um estudo piloto. Psic.: Teor. e Pesq. 2012; 28(3):335-344.

Notahft SCS, Zanatta EA, Brumm MLB, Galli KSB, Erdtmann BK, Buss E, Silvan PRR Sexualidade do adolescente no discurso de educadores: possibilidades para práticas educativas. REME rev. min. enferm. 2014; 18(2): 284-289.




DOI: https://doi.org/10.18554/

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/