DIFERENÇAS DE GÊNERO NA DIABETES: UM PONTO DE PARTIDA PARA OTIMIZAR A QUALIDADE DE VIDA

Fernanda Monteiro Coelho, Erika Masanet

Resumo


Objetivo: analisar as diferenças de gênero na qualidade de vida e indicadores antropométricos entre pessoas com diabetes tipo 2 (DM2) e sem DM2. Método: Estudo quantitativo de caráter transversal realizado no Centro Hiperdia de Viçosa-Minas Gerais, com 117 indivíduos diagnosticados com DM2 e 81 controles (CTL), com idade igual ou superior a 40 anos. Utilizou-se análise univariada para as variáveis sociodemográficas e  teste t de Student para comparação das médias na qualidade de vida e nos indicadores antropométricos. Resultados:  na presença da diabetes a qualidade de vida das mulheres piora em maior medida comparada à dos homens, sobre tudo do ponto de vista mental. Mulheres apresentam valores mais elevados para as variáveis antropométricas comparadas aos homens, sendo que este pode ser um fator que interfere na qualidade de vida das mulheres DM2. Conclusão: é necessário adotar estratégias orientadas pelo gênero na assistência e controle de pessoas DM2.   


Texto completo:

PDF PDF ENGLISH

Referências


International Diabetes Federation (IDF). [Internet]. IDF Diabetes Atlas. Eighth Edition 2017. Brussels: IDF; 2017. [citado em 18 dez 2018]. Disponível em: http://diabetesatlas.org/resources/2017-atlas.html

Ogden CL, Yanovski SZ, Carroll MD, Flegal KM. The epidemiology of obesity. Gastroenterology. [Internet]. 2007 [citado em 2 fev 2019]; 132(6):2087-2102. doi:/10.1053/j.gastro.2007.03.052

Artilheiro MMVSA, Franco SC, Schulz VC, Coelho CC. Quem são e como são tratados os pacientes que internam por diabetes mellitus no SUS?. Saúde em Debate. [Internet]. 2014 [citado em 2 fev 2019]; 101(38):210-224. doi:/10.5935/0103-1104.20140019

Borges BB, Lacerda JT. Ações voltadas ao controle do diabetes mellitus na atenção básica: proposta de modelo avaliativo. Saúde em Debate. [Internet]. 2018 [citado em 2 fev 2019]; 116(42):162-178. doi:/10.1590/0103-1104201811613

Junior ACA. Consolidando a rede de atenção às condições crônicas: experiência da rede Hiperdia de Minas Gerais. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde; 2011. 22p.

Alves TOS, Souza SA, Souza ECS, Gois CFL, Guimarães AMDN, Mattos MCT. Qualidade de vida relacionada à saúde de pessoas com diabetes mellitus. REME. 2013; 17(1):135-140.

Al Senany S, Al Saif A. Assessment of physical health status and quality of life among Saudi older adults. J Phys Ther Sci. [Internet]. 2015 [citado em 7 mar 2019]; 27(6):1691-1695. doi: 10.1589/jpts.27.1691

Sandín M, Espelt A, Escolar-Pujolar A, Arriola L, Larrañaga I. Desigualdades de género y diabetes mellitus tipo 2: la importancia de la diferencia. Av Diabetol. [Internet]. 2011 [citado em 7 mar 2019]; 27(3):78-87. doi:/10.1016/S1134-3230(11)70013-8

Vitoi NC, Fogal AS, Nascimento CM, Franceschini SCC, Ribeiro AQ. Prevalência e fatores associados ao diabetes em idosos no município de Viçosa, Minas Gerais. Rev Bras Epidemiol. [Internet]. 2015 [citado em 7 mar 2019]; 18(4):953-965. doi:/10.1590/1980-5497201500040022

Lira Neto JCG, Xavier MA, Borges JWP, Araújo MFM, Damasceno MMC, Freitas RWJF. Prevalência da Síndrome Metabólica em pessoas com Diabetes Mellitus tipo 2. Rev Bras Enferm. [Internet]. 2017 [citado em 7 mar 2019]; 70(2):265-270. doi:/10.1590/0034-7167-2016-0145

Penso JM, Périco E. Mortalidade por Diabetes Mellitus em uma macrorregião de saúde de Minas Gerais. REAS. [Internet]. 2016 [citado em 10 mar 2019]; 5(2): 34-44.

doi:/10.18554/reas.v5i2.1536

Svenningsson I, Marklund B, Attvall S, Gedda B. Type 2 diabetes: perceptions of quality of life and attitudes towards diabetes from a gender perspective. Scand J Caring Sci. [Internet]. 2011 [citado em 10 mar 2019]; 25(4):688-695. doi:/10.1111/j.1471-6712.2011.00879.x

Sass A, Gravena AAF, Pilger C, Mathias TAF, Marcon S. Depressão em idosos inscritos no Programa de Controle de hipertensão arterial e diabetes mellitus. Acta Paul Enferm. [Internet]. 2012 [citado em 10 mar 2019]; 25(1):80-85. doi:/10.1590/S0103-21002012000100014

Martire LM, Stephens MA, Townsend AL. Centrally of women’s multiple roles: beneficial and detrimental consequences for psychological well-being. Psychol Aging. 2000; 15:148-156.

Nava S, Carreno I, Rempel C, Schwingel G, Pissia LF, Belé P. Perfil epidemiológico da Hipertensão e Diabetes em mulheres. REAS. [Internet], 2015 [citado em 17 mar 2019]; 4(1):42-54. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/enfer/article/view/1262

Silveira E, Vieira LL, Souza JD. Elevada prevalência de obesidade abdominal em idosos e associação com diabetes, hipertensão e doenças respiratórias. Cien Saude Colet. [Internet]. 2018 [citado em 10 mar 2019]; 23(3):903-912. doi:/10.1590/1413-81232018233.01612016

Santos AS, Silveira RE, Sousa MC, Monteiro T, Silvano CM. Perfil de saúde de idosos residentes em um municipio do interior mineiro. REAS [Internet]. 2012 [citado em 10 mar 2019]; 1(1):80-90. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/enfer/article/view/300/280

Søltoft F, Hammer M, Kragh N. The association of body mass index and health-related quality of life in the general population: data from the 2003 Health Survey of England. Qual Life Res [Internet]. 2009 [citado em 28 mar]; 18(10):1293-1299. doi:/10.1007/s11136-009-9541-8

Pace AE, Ochoa-Vigo K, Caliri MHL, Fernandes APM. O conhecimento sobre diabetes mellitus no processo de autocuidado. Rev Lat Am Enfermagem. 2006; 14(5):728-734.

Palomino PA, Grande ML, Linares M. La salud y sus determinantes sociales. Desigualdades y exclusión en la sociedad del siglo XXI. Rev Int Sociol. [Internet]. 2014 [citado em 28 mar 2019]; 72(1): 45-70. doi:/10.3989/ris.2013.02.16




DOI: https://doi.org/10.18554/reas.v9i1.3730

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/