Análise gravimétrica dos resíduos sólidos grosseiros de unidades operacionais do sistema de esgotamento sanitário Insular, Florianópolis – SC

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18554/rbcti.v6i1.5402

Palavras-chave:

Resíduos Sólidos, Esgotamento Sanitário, Elevatórias

Resumo

Este trabalho teve como objetivo identificar por meio da análise de composição gravimétrica dos resíduos sólidos retidos nos gradeamentos de algumas unidades operacionais do sistema de esgoto Insular do município de Florianópolis, Estado de Santa Catarina, Brasil. Foram escolhidas duas estações elevatórias de esgoto (Beira-Mar Norte e Hospital Universitário/Trindade). Foram adotadas as seguintes classes de resíduos sólidos: plásticos, resíduos da construção civil, animais mortos, matéria orgânica, trapos e panos, rejeitos e outros. Foram identificados os resíduos sólidos que em maiores quantidades no sistema de esgotamento sanitário podem causar danos às unidades operacionais.

Biografia do Autor

Nadine Lory Bortolotto, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental pela Universidade Federal de Santa Catarina (2011). Especialização em Elaboração e Gerenciamento de Projetos para Gestão de Recursos Hídricos (IFCE, 2018); Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho pela UNISUL (2017); Especialização em Gestão Ambiental Municipal (UNIVALI, 2016) MBA Gestão Pública (Univ. Cruzeiro do Sul, 2018) Atualmente Mestranda do ProfÁgua da Agência Nacional de Águas (ANA) no IPH/UFRGS.

Cristiano Poleto, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Engenharia Civil (1996), especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho pela Univ. Estadual de Maringá (2002), Mestrado em Engenharia Civil com ênfase em Recursos Hídricos e Tecnologias Ambientais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2003), Doutorado em Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2007) com sanduíche na United States Geological Survey (USGS) de Atlanta - EUA e Pós-Doutorado pela Coventry University da Inglaterra (2009). Experiência na elaboração de 03 cursos de Especialização em Meio Ambiente e disciplinas Técnicas de EAD, além da organização de cursos de extensão, palestras, semanas acadêmicas e mais de 50 Eventos Científicos Nacionais e Internacionais em vários Países. Foi Membro do Conselho de Graduação e Educação Profissional da UTFPR. Foi Coordenador do curso de Engenharia Civil e da Especialização em Gestão Ambiental com ênfase em Recursos Hídricos da UTFPR Campus Toledo. Elaborador de itens para o ENADE para provas de Engenharia Ambiental nas área de poluição atmosférica. Foi Presidente da Comissão Técnica de Engenharia de Sedimentos por 10 anos (2010-2020) e Diretor de Eventos da Associação Brasileira de Recursos Hídricos (ABRH). Possui mais de 25 livros escritos ou organizados no Brasil e no Exterior (Editoras: UFRGS, UTFPR, Interciência, ABRH, GFM, UFTM e Wiley & Blackwell de Londres). Revisor de mais de 70 periódicos científicos nacionais e internacionais. Líder do Grupo de Pesquisa: SISTEMAS SUSTENTÁVEIS APLICADOS A ÁREAS URBANAS. Participa de 03 Grupos de Pesquisa: Gestão Integrada de Águas Urbanas - UEM, Mineralogia de solos e sedimentos em clima subtropical e propriedades associadas - UPF e Águas Urbanas ? UFRGS. Participou do Grupo Hidrometria aplicada à gestão da quantidade e qualidade dos corpos de água - USP por 08 anos. Consultor Ad Hoc da CAPES, CNPq, Fundação Araucária - Paraná, Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-graduação da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia, INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira e Pró-Reitoria UFMG. É Professor Associado II da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Pesquisador do PPG em Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental do Instituto de Pesquisas Hidráulicas da UFRGS e foi do PPG em Ciências da Engenharia Ambiental da USP São Carlos por 08 anos. É COORDENADOR do Mestrado Profissional em Rede Nacional em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos (PROFÁGUA - Polo UFRGS) em parceria pela Agência Nacional de Águas (ANA). É MEMBRO do CONSELHO DA UNIDADE IPH/UFRGS - CONSIPH É MEMBRO do CONSELHO GESTOR do Mestrado Profissional em Rede Nacional ProfÁgua. É MEMBRO do COMITÊ DIRETOR da International Association for Sediment Water Science (IASWS). Membro da EELF - European Environmental Law Forum. Possui pesquisas em parcerias: Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Minas Gerais, além de Cooperações Internacionais com a Inglaterra, Escócia, Portugal, Estados Unidos, Áustria, Alemanha, Suécia, Turquia, Argentina e Romênia. Já Coordenou Projetos financiados pelo CNPq, CAPES, Fundação Araucária, FINEP e FAPERGS. Foi GUEST EDITOR em Coleções Especiais de 05 journals: International Journal of River Basin Management da Taylor & Francis Group, Journal Management of Environmental Quality da Emerald, Electronic Journal of Management, Education and Environmental Technology da UFSM, International Journal of River Basin Management, Journal of Soils and Sediments da Springer . É GUEST EDITOR do Journal of Environmental Engineering (JEE) da American Society of Civil Engineering (ASCE). É EDITOR ASSOCIADO do Journal of Applied Water Engineering and Research (JAWER) da Taylor & Francis Group.

Referências

BERTOLINO, M., KONDAGESKI, J. H., WEINSCHUTZ, R. Água de Chuva domiciliar no esgoto separador absoluto. Revista DAE, v. 66, n. 213, p. 100-108. 2018.

CASTILHO JUNIOR, A. B. (org). Resíduos Sólidos Urbanos: Aterro Sustentável para Municípios de Pequeno Porte. Rio de Janeiro: ABES, 2003.

COSTA, S. L. Gestão Integrada de resíduos sólidos: aspectos jurídicos e ambientais. Aracaju: Evocati. 2011.

IBAM. Manual de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos. José Henrique Penido Monteiro (Coordenador). Rio de Janeiro. Instituto Brasileiro de Administração Municipal (IBAM). 2001. 204 p.

IBGE. Estimativas da população residente para os municípios e para as unidades da federação brasileiros com data de referência de 1 de Julho de 2020. Rio de Janeiro. 2020. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sc/florianopolis/panorama. Acesso em: 22 mar. 2021.

MORGADO, M.; INACIO, G. Caracterização da composição de resíduos removidos em gradeamento de ETEs. Revista Hydro, v. XII, n. 89. p.16-27. 2014.

NEVES, M. G. F. P.; TUCCI, C. E. M. Resíduos Sólidos na Drenagem Urbana: Aspectos Conceituais. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, v. 13, n. 3, p. 125–135, 2008.

POMPÊO, C. A. Drenagem Urbana Sustentável. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, v. 5, n. 1, p. 15-24, 2000.

PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS. Revisão do Plano Municipal Integrado de Saneamento Básico (PMISB) de Florianópolis. – Versão Preliminar. Secretaria Municipal de Infraestrutura. Jan. 2021. 251 p. Disponível em: http://portal.pmf.sc.gov.br/entidades/infraestrutura/index.php?cms=consulta+publica+pmisb+2021&menu=0. Acesso em: 11 fev. 2021.

TUCCI. C. E. M. Água no Meio Urbano. In: Água Doce. Cap. 14. Porto Alegre: IPH/UFRGS. 1997.

TUCCI, C. E. M. Gerenciamento da Drenagem Urbana. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, v. 7, n. 2, p. 5–27, 2002.

Publicado

2021-08-27

Como Citar

Bortolotto, N. L., & Poleto, C. (2021). Análise gravimétrica dos resíduos sólidos grosseiros de unidades operacionais do sistema de esgotamento sanitário Insular, Florianópolis – SC. Revista Brasileira De Ciência, Tecnologia E Inovação, 6(1), 28–37. https://doi.org/10.18554/rbcti.v6i1.5402

Edição

Seção

Artigos Originais