HUMANIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL

Pamela Iasmine Amorim Garcia Leite, Fabricio da Gama Pereira, Rafael Fernandes Demarchi, Thalise Yuri Hattori, Vagner Ferreira do Nascimento, Ana Claudia Pereira Terças-Trettel

Resumo


Objetivo: compreender a humanização da assistência de enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) de hospital privado mato-grossense. Métodos:estudo de caráter descritivo, exploratório e qualitativo. A coleta de dados realizada em 2016 com Enfermeiros que atuam na UTIN, com análise de conteúdo. Resultados:Os profissionais demonstram conhecimento sobre a humanização, compreendendo a mesma como um processo vivencial, que é adquirido por intermédio da experiência da prática clínica sob um viés afetivo e da própria ciência da enfermagem. Destacou-se a importância da prática na prestação do cuidado de enfermagem ao neonato, devendo a atenção humanizada ser estendida à família, buscando fortalecer os vínculos do binômio mãe-filho. Conclusão:Percebeu-se uma preocupação dos profissionais, em relação a importância do envolvimento familiar no processo de humanização, que perpassa pela confiança mútua até o processo de empoderamento gerado nos pais pela equipe, devido ao estímulo da participação nos cuidados com o recém nascido. 


Texto completo:

PDF PDF ENGLISH

Referências


Brasil. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Presidência da República/Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Available from: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm.

MS - Ministério da Saúde. Atenção humanizada ao recém‑nascido de baixo peso: Método Canguru. Manual técnico. Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. 2. ed., 1. reimpr. [Internet]. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2013. [cited 2018 Jun 10]. Avaliable from: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_humanizada_recem_nascido_canguru.pdf.

Pinheiro FGMS, Sousa DS, Oliveira SJGS, Oliveira SN, Oliveira SMB. Assistência humanizada no período perinatal com a utilização do método Canguru: Uma revisão bibliográfica. Cadernos de graduação: Ciências Biológicas e da Saúde. [Internet]. 2014. [cited 2018 June 10]; 2(2):79-91. Available from: https://periodicos.set.edu.br/index.php/cadernobiologicas/article/view/1480/1014.

Machado ER, Soares NV. Humanização em UTI: sentidos e significados sob a ótica da equipe de saúde. Revista de Enfermagem do Centro-Oeste Mineiro. 2016;6(3). Doi: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v6i3.1011.

Reis LS, Silva EF, Waterkemper R, Lorenzini E, Cecchetto FH. Percepção da equipe de enfermagem sobre humanização em unidade de tratamento intensivo neonatal e pediátrica. Rev Gaucha Enferm. [Internet]. 2013 June [cited 2018 June 10]; 34(2):118-124. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-14472013000200015&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S1983-14472013000200015.

Fialho FA, Dias IMAV, Santos RS, Silva LR, Salvador M. Humanização permeando o cuidado de enfermagem neonatal. Rev enferm UFPE on line. 10(7):2412-9, 2016. Doi: http: 10.5205/reuol.9106-80230-1-SM1007201615.

Oliveira K, Veronez M, Higarashi IH, Corrêa DAM. Vivências de familiares no processo de nascimento e internação de seus filhos em UTI neonatal. Esc. Anna Nery [Internet]. 2013 Mar [cited 2018 June 10]; 17(1):46-53. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452013000100007&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-81452013000100007.

Rocha MCP, Carvalho MSM, Fossa AM, Rossato LM. Assistência humanizada na terapia intensiva neonatal: ações e limitações do enfermeiro. Saúde Rev (Piracicaba). 2015. 15:67-84. Doi: http://dx.doi.org/10.15600/2238-1244/sr.v15n40p67-84.

Medeiros AC, Siqueira HCH, Zamberlan C, Cecagno D, Nunes SS, Thurow MRB. Comprehensiveness and humanization of nursing care management in the Intensive Care Unit. Rev esc enferm USP. [Internet]. 2016 [cited 2018 June 10];50(5):816-822. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342016000500816&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/s0080-623420160000600015.

Nascimento VF, Maciel MM, Lemes AG, Borges AP, Tercas ACP, Hattori TY. Percepções de familiares sobre hospitalização no ambiente intensivo. Rev Enferm UFPI. [Internet]. 2015; [cited 2018 June 10]; 4:92-99. Available from: http://www.ojs.ufpi.br/index.php/reufpi/article/view/3402/pdf.

Bardin, L. Análise de Conteúdo. Tradução de Luis Antero Reto e Augusto Pinheiro. 70 ed. São Paulo: Livraria Martins Fontes; 2007.

Santana EFM, Madeira LM. A mãe acompanhante na unidade de terapia intensiva neonatal: desafios para a equipe assistencial. R. Enferm. Cent. O. Min., 2013. 3(1):475-487. Doi: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v0i0.279.

Santos LC, Vorcaro AMR. (2016). Implicações da patologia e da hospitalização do bebê ao nascer: a contribuição da psicanálise e de seu método clínico. Estilos da Clínica, 21(2), 282-301. Doi: https://dx.doi.org/http//dx.doi.org/0.11606/issn.1981-1624.v21i2p282-301.

Neto JAS; Rodrigues BMRD. A ação intencional da equipe de enfermagem ao cuidar do RN na UTI neonatal. Ciência, Cuidado e Saúde. 2015;14(3):1237-1244. Doi: http://dx.doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v14i3.22320.

Reis FFP, Oliveira KF, Luiz RB, Barichello E, Cruz LF, Barbosa MH. Cultura de segurança em Unidade de Terapia Intensiva. Rev Enferm Atenção Saúde [Online]; 2017;6(2):34-48. Doi://dx.doi.org/10.18554/reas.v6i2.1991.

Lins RNP, Collet N, Vaz EMC, Reichert AP. Percepção da Equipe de Enfermagem acerca da Humanização do Cuidado na UTI Neonatal. Revista Brasileira de Ciências da Saúde. [Internet]. 2013. [cited 2018 Jun 10]; 17(3):225-232. Avaliable from: http://www.biblionline.ufpb.br/ojs/index.php/rbcs/article/view/14021.

Salcedo EAC, Freston YMB, Souza JL, Costa SM, Duarte CM, Batista PM et al. Experiência de cuidados e humanização em uti neonatal-grupo de pais enlutados. Sínteses: Revista Eletrônica do SIMTEC; 2016; 2:271-271. Doi: http://dx.doi.org/10.20396/sinteses.v0i2.8721.

Rocha SS, Olivindo DDF, Sá CN, Fonseca LF. Percepção da enfermagem em relação às mães no cuidado de recém-nascidos na unidade de terapia intensiva neonatal. Enferm Foco. [Internet]. 2013. [cited 2018 June 10]; 4(1):45-48. Available from: file:///C:/Users/Ju/Documents/MEGA/Artigo%20Ana%20Cl%C3%A1udia%20humaniza%C3%A7%C3%A3o%20UTIN/502-1295-1-SM.pdf.

Bolivar Montes LA, Montalvo Prieto A. Uncertainty Associated to Parents of Preterm Infants Hospitalized in Neonatal Intensive Care Units. Invest. educ. enferm, Medellín; 2016.34(2):360-367. Doi: 10.1590/S0120-53072016000200016.

Rocha DKL, Ferreira HC. Estado da arte sobre o cuidar em neonatologia: compromisso da enfermagem com a humanização na unidade de terapia intensiva neonatal. Enferm foco (Brasília). [Internet]. 2013 June [cited 2018 June 10];4(2):24-28. Available from: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/viewFile/497/187.




DOI: https://doi.org/10.18554/reas.v9i1.3649

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/