PERFIL DOS ALUNOS INGRESSANTES DOS CURSOS DA ÁREA DA SAÚDE DE UMA UNIVERSIDADE FEDERAL

Giovanna Gaudenci Nardelli, Eliana Maria Gaudenci, Bethânia Bonato Garcia, Cíntia Tavares Carleto, Laís Marques Gontijo, Leila Aparecida Kauchakje Pedrosa

Resumo


Estudos indicam que poucas vezes, durante a formulação do processo ensino-aprendizagem, os dados relativos aos alunos vêm sendo considerados relevantes. Nosso objetivo foi descrever o perfil dos alunos ingressantes em cursos de graduação da área da saúde. Trata-se de estudo descritivo, quantitativo e transversal, realizado em uma Instituição Federal de Ensino Superior. Utilizou-se um questionário autoaplicativo, em local privativo, após a assinatura do Termo de Consentimento pelo estudante ou seu responsável. Obteve-se uma amostra de 124 participantes, sendo a maioria do sexo feminino (89%), com 18 anos (34%), de cor branca (81,5%), procedente de São Paulo (50,8%), com renda familiar de até quatro salários (19,4%). Em relação ao perfil de saúde, 35,5% não praticavam atividade física, 2,4% eram fumantes, 31,5% consumiam bebida alcoólica e 45,2% possuíam vida sexual ativa. Observou-se maioria de alunos jovens, egressa do ensino médio, corroborando com o perfil dos universitários do Brasil.

Descritores: Estudantes; Perfil de Saúde; Universidades.

Texto completo:

PDF

Referências


Ferreira, ABH. Dicionário Aurélio Básico da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 2011; p. 214.

Eurich RB et al. Avaliação da qualidade de vida de acadêmicos de graduação em Enfermagem do primeiro e quarto anos: influência das variáveis sociodemográficas. Rev Psiquiatr RS. 2008;30(3): 211.

Constituição da Republica Federativa do Brasil (BR). Brasília, DF: Senado Federal.1988.

Andifes (BR). Perfil socioeconômico e cultural dos estudantes de graduação das Universidades Federais Brasileiras. Fórum Nacional de Pró-Reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis (FONAPRACE). Brasília. TC. 2011; 64p.

Ministério da Educação e da Cultura (BR). Reestruturação e Expansão das Universidades Federais. Diretrizes Gerais. 2007; 45p.

Martins CB. O ensino superior brasileiro nos anos 90. Revista São Paulo em Perspectiva. São Paulo. 2000; mimeo.

Libâneo JC. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. São Paulo. Loyola. 1984.

Kawasaki, CS. Universidades públicas e sociedade: uma parceria necessária. Rev. Fac. Educ. [internet]. 1997; 23:1-2.

Franco, AP. Ensino Superior no Brasil: cenário, avanços, e contradições. Jornal de Políticas Educacionais. 2008; 4: 53-63.

Finatti, BE; Alves, JM; Silveira, RJ. Perfil Sócio, Econômico e Cultural dos Estudantes da Universidade Estadual de Londrina – UEL - Indicadores para implantação de uma política de assistência estudantil. Revista do Programa de Pós- Graduação em Serviço Social. Juiz de Fora. 2007; 2(1): 188-206.

Finatti, BE. Assistência estudantil na Universidade Estadual de Londrina/UEL. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação de Serviço Social e Política Social da Universidade Estadual de Londrina. Universidade Estadual de Londrina, 2007.

Brasil. O que os números revelam - o retrato do ensino superior. Revista Ensino Superior. São Paulo. 2007; 10:115

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (BR). Perfil Socioeconômico dos estudantes de graduação das instituições federais de ensino superior Parte 1. 2003/2004. Rio de Janeiro. [acesso em 20 Jun 2012]. Disponível em: http://proexc.unirio.br/relatorio_parte1.pdf.




DOI: https://doi.org/10.18554/

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/