A educação ambiental em cursos de formação inicial de professores: análise de projetos pedagógicos de dois cursos de licenciatura em Física

Autores

  • Danielle Aparecida Reis Leite Universidade Federal do Triângulo Mineiro

DOI:

https://doi.org/10.18554/rt.v0i0.4273

Palavras-chave:

Educação. Educação ambiental. Formação de professores. Física.

Resumo

A presença da temática ambiental em cursos de formação de professores assume grande importância na atualidade sendo, inclusive, recomendada por alguns instrumentos normativos brasileiros, como a Política Nacional de Educação Ambiental e as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Nesse sentido, o objetivo principal deste trabalho é o de compreender como as recomendações sobre a inserção da Educação Ambiental (EA) na formação inicial de professores estabelecidas pela legislação brasileira materializam-se nos Projetos Pedagógicos de dois cursos de Licenciatura em Física oferecidos por duas Instituições de Ensino Superior públicas localizadas no estado de São Paulo. O material selecionado foi analisado segundo a perspectiva de Michel Foucault (1926-1984), através da mobilização dos conceitos de formação discursiva, poder e sujeito. Foi possível constatar que esses documentos se apropriam do discurso que trata da presença da EA na formação inicial dos docentes, entretanto a mesma é implementada de maneiras bastante distintas nesses dois cursos. Embora a formação discursiva sobre a EA defenda que a temática ambiental deva estar presente na formação de professores, é possível constatar algumas resistências às diretrizes oficiais que apresentam tais recomendações e que pode ser decorrente da relação de poder estabelecida entre os instrumentos normativos e os Projetos Pedagógicos analisados.

Biografia do Autor

Danielle Aparecida Reis Leite, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Licenciada em Física pela Universidade Federal de Itajubá (2010), Mestre (2013) e Doutora (2019) em Educação pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - campus Rio Claro. Atualmente é professora/pesquisadora da Universidade Federal do Triângulo Mineiro. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Ambiental e Ensino de Física.

Referências

ALVES-MAZZOTTI, A. J.; GEWANDSZNAJDER, F. O Método nas Ciências Sociais: Pesquisa Quantitativa e Qualitativa. 2º ed. São Paulo: Pioneira, 2000.

BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação. Portugal: Porto, 1994.

BRASIL. Lei N.º 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 1981. Disponível em: https://bit.ly/1YgMNzS. Acesso em: jan. 2020.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2016. Disponível em: https://bit.ly/2ETNGh8. Acesso em: jan. 2020.

BRASIL. Lei 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental – PNEA e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 1999. Disponível em: https://bit.ly/2GYetpC. Acesso em: jan. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP n. 01/2002, de 18 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília: MEC/CNE, 2002a. Disponível em: https://bit.ly/2gPm8PY. Acesso em: jan. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP n. 2/2012, de 15 de junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília: MEC/CNE, 2012. Disponível em: https://bit.ly/2K5CYU5. Acesso em: jan. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP n. 02/2015, de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília: MEC/CNE, 2015. Disponível em: https://bit.ly/2HHTkR7. Acesso em: jan. 2020.

CARVALHO, L.M. et al. A educação ambiental no Brasil: análise da produção acadêmica – teses e dissertações. CNPq: Relatório Científico. Rio Claro, UNESP – Rio Claro, UNICAMP, USP – Ribeirão Preto, 2016. Disponível em: https://bit.ly/3eqjOIg. Acesso em: abr. 2020.

CARVALHO, L. M. A Educação Ambiental e a formação de professores. In: Secretaria de Educação Fundamental. Panorama da Educação Ambiental no ensino fundamental. Brasília: MEC; SEF, 2001, 149 p.; p. 55-83. Disponível em: https://bit.ly/2OLdmP7. Acesso em: abr. 2020.

CARVALHO, L. M.; SANTOS, W. P.; LEVINSON, R. A Dimensão Política da Educação Ambiental em Investigações de Revistas Brasileiras de Ensino de Ciências. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 14, n. 2, p. 199-213, 2014. Disponível em: https://bit.ly/2OezdOt. Acesso em: fev. 2020

DENZIN, N.K; LINCOLN, Y. S. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagem. Porto Alegre: Artmed, 2006. 432 p.

FOUCAULT, M. (2001). Poder e saber. In: MOTTA, M. B. Ditos e escritos IV: Michel Foucault: estratégia, poder-saber. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária. 2001.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária. 2008.

FRACALANZA, H. As pesquisas sobre Educação Ambiental no Brasil e as escolas: alguns comentários preliminares. In: TAGLIEBER, J.E. e GUERRA, A.F.S. (orgs.) Pesquisa em Educação Ambiental: pensamentos e reflexões de pesquisadores em Educação Ambiental. Pelotas: Editora Universitária/UFPel, 2004, p. 55-77. Disponível em: https://bit.ly/2T09UCv. Acesso em: jan. 2020.

GARRIDO, L. S. A inserção da Educação Ambiental em cursos de Pedagogia e licenciatura em Ciências Biológicas: caminhos para a interdisciplinaridade? 2016. 184f. Tese (Doutorado Ensino em Biociências e Saúde) - Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2016. Disponível em: https://bit.ly/3eqAdfV. Acesso em abr. 2020.

GUERRA, A. F. S.; FIGUEIREDO, M. L.; ORSI, R. F. M.; STEUCK, E. R.; CARLETTO, D. L.; DA SILVA, M. P.; LUNA, J. M. F. A ambientalização na Educação Superior: trajetória e perspectivas. In: GUERRA, A. F. S. (Org.). Ambientalização e sustentabilidade nas universidades: subsídios, reflexões e aprendizagens. 1. Ed. Dados eletrônicos, Itajaí: Editora da Univali, 2015. 146p.

KITZMANN, D.; ASMUS, M. Ambientalização sistêmica – do currículo ao socioambiente. Currículo sem Fronteiras, Pelotas, v.12, n.1, p. 269-290, 2012. Disponível em: https://bit.ly/3bfXxLo. Acesso em abr. 2020.

LEITE, D. A. R. A temática ambiental na formação inicial de professores: análise de cursos de Licenciatura em Física de Instituições de Ensino Superior localizadas no estado de São Paulo. 2019. 268 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rio Claro, 2019. Disponível em: https://bit.ly/2VdbXpM. Acesso em: abr. 2020.

MIYAZAWA, G. C. M. C.; FRENEDOZO, R. C.; VIEIRA, R. M. Inserção da temática ambiental em um curso de licenciatura em ciências biológicas: concepções dos docentes e suas práticas pedagógicas. Pesquisa em Educação Ambiental, v.14, n.1, p. 89-110, 2019. Disponível em: https://bit.ly/3bcH2je. Acesso em abr. 2020.

MOTA, J. C.; KITZMANN, D. I. S. O Processo de Ambientalização Curricular na Educação Superior: uma Proposta Metodológica. Cadernos de Pesquisa: Pensamento Educacional, Curitiba, Número Especial, p.318-334, 2018. Disponível em: https://bit.ly/2Ve9aNd. Acesso: abr. 2020.

MOTIN, S. D.; GONGALVES, R. M. T.; CASSINS, D. M. S. O.; SAHEB, D. Educação ambiental na formação inicial docente: um mapeamento das pesquisas brasileiras em teses e dissertações. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 24, n. 1, p. 81-102, 2019. Disponível em: https://bit.ly/3cl7t6r. Acesso em: abr. 2020.

OLIVEIRA, M.G.; CARVALHO, L. M. Políticas públicas de formação de professores e de Educação Ambiental: possíveis articulações? Revista Contemporânea de Educação, Rio de Janeiro, v. 7, n. 14, p. 252–275, 2012. Disponível em: https://bit.ly/2AXa1Yw. Acesso em: abr. 2020.

PEREIRA, G. N. Produção discursiva sobre questões ambientais no currículo de Licenciatura em Geografia. 2014. 85f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação da Baixada Fluminense, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Duque de Caxias, 2014. Disponível em: https://bit.ly/3al7qpX. Acesso em: abr. 2020.

PITANGA, A. F. A inserção das questões ambientais no curso de Licenciatura em Química da Universidade Federal de Sergipe. 2015. 200 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2015. Disponível em: https://bit.ly/34FoaqF. Acesso em: abr. 2020.

REIS, D. A.; SILVA, L. F.; FIGUEIREDO, N. As complexidades inerentes ao tema mudanças climáticas: desafios e perspectivas para o Ensino de Física. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 17, n. 3, p. 535-554, 2015. Disponível em: https://bit.ly/2OLSIhV. Acesso em fev. 2020.

RIBEIRO, T. C. Aspectos da complexificação para tratar a entropia nas aulas de Física. 2018. 140 f. Dissertação (Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física) – Universidade Federal do ABC, Santo André, 2018.

RIBEIRO, T. C.; WATANABE, G. Apontamentos para propor aulas de ciências mais complexas a partir do tema entropia. Investigación en la Escuela, Sevilla, v. 98, p. 46-67, 2019. Disponível em: https://bit.ly/3ag1FcV. Acesso em jan. 2020.

ROCHA, A. F. V. A inserção da temática ambiental no ensino superior: uma análise nos cursos de formação de professores em Ciências e Matemática da UFG. 2013. 132 p. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2013. Disponível em: https://bit.ly/2z3Ferv. Acesso em mar. 2020.

RUSCHEINSKY, A. Périplo pela incorporação da dimensão socioambiental: incertezas, desafios e tensões em trajetórias universitárias. In: RUSCHEINSKY, A.; GUERRA, A. F. S.; FIGUEIREDO, M. L.; LEME, P. C. S.; RANIERI, V. E. L.; DELITTI, W. B. C. (Orgs.). Ambientalização nas instituições de educação superior no Brasil: caminhos trilhados, desafios e possibilidades. São Carlos: EESC/USP, 2014. p. 99-124.

SANTOS, W. L. P.; CARVALHO, L. M.; LEVINSON, R. A dimensão política da educação ambiental em investigações de revistas brasileiras de ensino de ciências. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 14, n. 2, p. 199-213, 2014. Disponível em: https://bit.ly/3exRZ0X. Acesso em: jan. 2020.

SÃO PAULO. Conselho Estadual de Educação. Deliberação 111/2012. Diário Oficial do estado de São Paulo (DOESP), São Paulo, SP, 3 fev. de 2012, Seção I, p. 46. Disponível em: <https://bit.ly/2vD6GKo>. Acesso em: jan. 2020.

SÃO PAULO. Conselho Estadual de Educação. Deliberação 154/2017. Diário Oficial do estado de São Paulo (DOESP), São Paulo, SP, 7 jul. 2017, Seção I, p. 38-39. Disponível em: <https://bit.ly/2KtdGyI>. Acesso em: jan. 2020.

SILVA, T. N.; FARIAS, C. R. O. Análise da inserção das questões ambientais em dois cursos de Licenciatura em Química de uma universidade pública. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 22, n. 3, p. 80-101, 2017. Disponível em: https://bit.ly/3algHyg. Acesso em: fev. 2020.

WATANABE, G. Aspectos da complexidade: contribuições da Física para a compreensão do tema ambiental. 2012. 246 p. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: https://bit.ly/2zHWTET. Acesso em: mar. 2020.

ZUIN, V. G.; FARIAS, C. R.; FREITAS, D. A ambientalização curricular na formação inicial de professores de Química: considerações sobre uma experiência brasileira. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, Vigo, v.8, n. 2, p. 552-570, 2009. Disponível em: https://bit.ly/2oZvBF4. Acesso em: fev. 2020.

Downloads

Publicado

2020-06-04