O conhecimento profissional de pedagogos sobre a habilidade do pensamento crítico no contexto da alfabetização científica

Alessandro Augusto Barros Façanha, Renan Cirne Chianca, Clara Patricia Felix

Resumo


Este estudo revela os resultados de uma investigação acerca do conhecimento profissional de futuros professores de ciências sobre a habilidade do pensamento crítico e sua relação ao contexto da alfabetização científica com o intuito de se discutir a formação desses professores no âmbito de sua profissionalidade no que corresponde à compreensão sobre o pensamento crítico como uma habilidade cognitiva necessária para ensinar ciências e promover alfabetização científica em aulas de ciências. Foi realizado um estudo de natureza descritiva com estudantes de pedagogia de uma universidade pública de referência da formação de professores e nas pesquisas que envolvem o ensino das ciências. Os resultados, apesar de circunscritos ao estudo em questão, auxiliam na compreensão do processo de formação de professores e demonstra, dentre outras constatações, a fragilidade da formação no contexto do ensino de ciências bem como um descompasso entre a profissionalidade e as necessidades atuais para a promoção da alfabetização científica nos anos iniciais da educação básica.


Palavras-chave


Formação de professores. Ensino de ciências. Pensamento crítico

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. 2015. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Consulta Pública. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/documento/BNCC-APRESENTACAO.pdf. Acesso em: Jul/2018.

_________, Resolução n.1, 15.5.2006. Diário Oficial da União, n.92, seção 1, p.11- 12, 16 maio 2006.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições, v. 70, 1977.

BROWN, Ken. Education, culture and critical thinking. 1996. Tese de Doutorado. University of Aberdeen.

CARVALHO, Anna M. Pessoa de; Gil-Pérez, Daniel. Formação de professores de ciências, v. 6, 2003.

CEREZAL, J.; FIALLO, J. Como Investigar en Pedagogía. Editorial Pueblo y Educación. La Habana, Cuba, 2004.

COTTRELL, Stella. Critical thinking skills: Developing effective analysis and argument. Palgrave Macmillan, 2011.

DARLING-HAMMOND, Linda; MUÑOZ, Juan Manuel Escudero. El derecho de aprender: Crear buenas escuelas para todos. Ariel, 2001.

DUARTE, Newton. Sociedade do conhecimento ou sociedade das ilusões. Campinas: autores associados, 2003.

DUCATTI-SILVA, K. C. A formação no curso de Pedagogia para o ensino de ciências nas séries iniciais. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Marília, SP, 2005.

GATTI, B.A.; BARRETO, E.S.S. Professores: aspectos de sua profissionalização, formação e valorização social. Brasília, DF: UNESCO, 2009. (Relatório de pesquisa).

GATTI, Bernardete A.; NUNES, Marina Nuniz Rosa. Formação de professores para o ensino fundamental: estudo de curículos das licenciaturas em pedagogia, lingua portuguesa, matemática e ciências biológicas. Textos FCC, v. 29, p. 155, 2013.

International Council for Science [ICSU] (2011). Report of the ICSU ad-hoc review panel on science. Paris: InternationalCouncil for Science. [Disponível em: www.icsu.org]. (Acessado em Julho de 2018).

LIBÂNEO, José Carlos; PIMENTA, Selma Garrido. Formação de profissionais da educação: visão crítica e perspectiva de mudança. Educação & Sociedade, v. 20, n. 68, p. 239-277, 1999.

LEONTIEV, Alexei Nicolaevich; DUARTE, Manuel Dias. O desenvolvimento do psiquismo. 1978.

MAIZTEGUI, Alberto et al. La formación de los profesores de ciencias en Iberoamérica. Revista Iberoamericana de Educación, n. 24, p. 163-187, 2000.

MEZQUITA, Julio Cerezal; RODRÍGUEZ, Jorge Fiallo. Cómo investigar en Pedagogía. Editorial Pueblo y Educación, 2009.

MOON, Jennifer A. We Seek it Here-a new perspective on the elusive activity of critical thinking: a theoretical and practical approach. 2005.

NÚÑEZ, Isauro Beltrán; RAMALHO, Betania Leite. A profissionalização da docência: um olhar a partir da representação de professoras do ensino fundamental. Revista Iberoamericana de educación, v. 9, n. 46, p. 1-15, 2008.

__________________. Conhecimento profissional para ensinar a explicar processos e fenômenos nas aulas de Química. Revista Educação em Questão, v. 52, n. 38, p. 243-268, 2015.

OJA, Aline Juliana; BASTOS, Fernando. Ensino de ciências no início da educação fundamental: algumas implicações para uma educação científica de qualidade. IX Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2013.

OSBORNE, Jonathan; DILLON, Justin. Science education in Europe: Critical reflections. London: The Nuffield Foundation, 2008.

OVIGLI, Daniel Fernando Bovolenta; BERTUCCI, Monike Cristina Silva. A formação para o ensino de ciências naturais nos currículos de pedagogia das instituições públicas de ensino superior paulistas. Ciências & Cognição, v. 14, n. 2, p. 194-209, 2009.

PAUL, Richard; ELDER, Linda. Critical thinking. The Foundation for Critical Thinking, 2008.

PORLÁN, Rafael et al. El conocimiento de los profesores: una propuesta formativa en el área de ciencias. 1998.

RAMALHO, B. L.; NUÑEZ, I. B.; GAUTHIER, C. Um quadro paradigmático para a mudança: a propósito da formação e da profissionalização docente inicial. Formar o professor, profissionalizar o ensino: perspectivas e desafios, v. 2, p. 17-96, 2004.

SANMARTÍ, Neús Puig. Hablar, ler y escribir para aprender ciência. In: ALEIXANDRE, Maria Del Pilar Jimenez (Org.). La competência em comunicación linguística em las áreas del currículo. Madrid: Ministerio de Educación y Cultura, 2007.

SAVIANI, Dermeval. O legado educacional do século XIX. Forward Movement, 2006.

SOLBES, Jordi; MERCHÁN, Nidia Yaneth Torres. ¿ Cuáles son las concepciones de los docentes de ciencias en formación y en ejercicio sobre el pensamiento crítico?. Tecné, episteme y didaxis: revista de la Facultad de Ciencia y Tecnología, n. 33, p. 61-85, 2013.

TEIXEIRA, Francimar Martins. Alfabetização científica: questões para reflexão. Bauru, Ciênc. Educ, v. 19, n. 4, p. 795-809, 2013.

TENREIRO-VIEIRA, Celina. Formação em pensamento crítico de professores de ciências: impacte nas práticas de sala de aula e no nível de pensamento crítico dos alunos. REEC: Revista electrónica de enseñanza de las ciencias, v. 3, n. 3, p. 1, 2004.

__________________. Perspectivas futuras de investigação e formação sobre pensamento crítico: Potenciais convergências com as literacias científicas e matemática. Pensamento crítico na educação: Perspectivas atuais no panorama internacional, p. 29-39, 2014.

TENREIRO-VIEIRA, Celina; MARQUES VIEIRA, R. U. I. Literacia e pensamento crítico: um referencial para a educação em ciências e em matemática. Revista Brasileira de Educação, v. 18, n. 52, 2013.

TENREIRO-VIEIRA, Celina; VIEIRA, Rui Marques. Educação em ciências e em matemática numa perspectiva de literacia: desenvolvimento de materiais didáticos com orientação CTS/pensamento crítico (PC). CTS e educação científica: desafios, tendências e resultados de pesquisas. Brasília: Editora Universidade de Brasília, p. 417-437, 2011.

TITTLE, Peg. Critical thinking: An appeal to reason. Routledge, 2011.

UNESCO. A ciência para o século XXI: uma nova visão e uma base de ação. Brasília: UNESCO, 2003.

VIEIRA, Rui Marques; VIEIRA, Celina Tenreiro. Estratégias de ensino-aprendizagem: o questionamento promotor do pensamento crítico. 2005.

VIEIRA, Rui Marques; TENREIRO-VIEIRA, Celina; MARTINS, Isabel P. Critical Thinking: Conceptual Clarification and Its Importance in Science Education. Science Education International, v. 22, n. 1, p. 43-54, 2011.




DOI: https://doi.org/10.18554/rt.v0i0.3151

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Triângulo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

A Revista Triângulo é signatária da DECLARAÇÃO DO MÉXICO - Declaração Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomenda o uso da licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual (CC BY-NC -SA, em inglês) para garantir a proteção da produção acadêmica e científica regional em Acesso Aberto. 

Triangulo Journal is signatory of MEXICO DECLARATION - LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT Joint Declaration recommending the use of the license to ensure the protection of academic production and regional scientific research in Open Access.

La Revista Triangulo es signataria de la DECLARACIÓN DE MÉXICO - Declaración Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomienda el uso de la licencia Creative Commons Asignación-NoComercial-CompartirIgual (CC BY-NC -SA, en inglés) para garantizar la protección de la producción académica y científica regional en Acceso Abierto.