O SABER ARGUMENTATIVO NA FORMAÇÃO DOCENTE DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19

Autores

  • Eliana Cristina Rosa Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM http://orcid.org/0000-0002-9664-2336
  • Mayron Engel Rosa Santos Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM

DOI:

https://doi.org/10.18554/rt.v14i3.5512

Palavras-chave:

Formação docente, Saber argumentativo, Pandemia COVID-19.

Resumo

Esta reflexão no formato de ensaio tem como objetivo descrever como a não exposição de argumentos e pontos de vistas interferem na formação dos professores. O tema foi levantado pelos autores em 2020, ano em que a pandemia gerou a necessidade da continuidade dos estudos de forma virtual. Neste processo de reflexão sobre as formações iniciais dos professores e conflitos advindo da migração das aulas presenciais para ambiente virtual, foi percebido quantas camadas existem na não-argumentação dos alunos em aula, desde possíveis processos de formação com pouco estímulo à argumentação, até questões sociais e emocionais como o fato de não terem equipamentos adequados, vergonha da sua condição doméstica; a falta de pacote de internet necessário para o acesso; e dificuldade na gestão do tempo e ansiedade.

Biografia do Autor

Eliana Cristina Rosa, Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM

Graduada em Administração Pública. Licenciatura em Filosofia e Pedagogia. Especialização em Saúde Coletiva. Pós-Graduação em Docência e Gestão nos Ensinos Médio, Técnico e Superior. Mestrado em Educação-Gestão de Politicas Universitárias no Mercosul pela Universidade Nacional Lomas de Zamora/Buenos Aires, Argentina. Servidora Pública - UFTM e Secretaria Executiva/Revista REFACS.

Mayron Engel Rosa Santos, Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM

Graduado em Pedagogia pela Universidade de Uberaba (2012). Pós-graduação em Expressão Ludocriativa pela Universidade de Uberaba (2013). Graduando em Educação Física.  Aluno de Mestrado em Educação (PPGE) na UFTM. Pesquisador no Núcleo de Estudos e Pesquisas em Corporeidade e Pedagogia do Movimento- NUCORPO. Ator e artista de circo registado (DRT 8452) pela SATED-MG. A trajetória profissional, sempre foi voltada para a Arte Educação, especialmente na Educação Infantil e Fundamental I, com ênfase em artes circenses e teatral. Atualmente ministra aulas de teatro e arte circense no Colégio Marista Diocesano em Uberaba - MG.

Referências

ASSMANN, H. Reencantar a educação: rumo a sociedade aprendente. Petrópolis – RJ: Vozes, 2012.

FREIRE, P. Educação e mudança. Traduzido por Moacir Gadotti e Lilian Lopes Martins. 10 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

GATTI, B. A. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educ. Soc. [online]. 2010, vol.31, n.113, p.1355-1379.

JANZ, C. P. Friedrich Nietzsche: uma Biografia. Vol. I, II e III. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2016.

LEITÃO, S. Argumentação e desenvolvimento do pensamento reflexivo. Psicologia: Reflexão e Crítica, 20 (3), 454-462, 2007.

MATTA, G.C.; REGO, S.; SOUTO, E.P.; SEGATA, J. Os impactos sociais da Covid-19 no Brasil: populações vulnerabilizadas e respostas à pandemia [online]. Rio de Janeiro: Observatório Covid 19. Editora FIOCRUZ, 2021, 221 p. Informação para ação na Covid-19 series. ISBN: 978-65-5708-032-0. <https://doi.org/10.7476/9786557080320>

PENTEADO, H. D. Pesquisa-ensino e formação de professores. In: PENTEADO, H. D., GARRIDO, E. (Org.) Pesquisa-ensino: a comunicação escolar na formação do professor. São Paulo: Paulinas, 2010.

Downloads

Publicado

2021-11-03

Como Citar

ROSA, E. C.; SANTOS, M. E. R. O SABER ARGUMENTATIVO NA FORMAÇÃO DOCENTE DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19. Revista Triângulo, Uberaba - MG, v. 14, n. 3, p. 66–73, 2021. DOI: 10.18554/rt.v14i3.5512. Disponível em: https://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/revistatriangulo/article/view/5512. Acesso em: 5 out. 2022.