Intensificação do trabalho docente

uma análise do contexto do ensino remoto em Goiás

Autores

  • Kamylla Pereira Borges Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás - IFG
  • Cláudia Helena dos Santos Araújo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás - IFG
  • Alessandro Silva de Oliveira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás - IFG

DOI:

https://doi.org/10.18554/rt.v15i1.6165

Palavras-chave:

Educação básica. Ensino Remoto. Condições do trabalho docente. Pandemia Covid-19.

Resumo

O presente artigo investigou a percepção de docentes em relação ao ensino remoto nas práticas educativas, de modo a compreender como ocorreu o processo de intensificação do trabalho docente no contexto da Pandemia de COVID-19 em 2020. Tal investigação buscou responder às questões de pesquisa: Qual a percepção dos docentes da rede pública municipal e estadual e do sistema privado de Goiás em relação ao ensino remoto nos processos educativos em tempos de Pandemia do COVID-19? De que forma ocorre o processo de intensificação do trabalho docente devido à sua realização no formato a distância nesse tempo de pandemia? Para o trato da problemática em foco, lançou-se mão do referencial teórico-metodológico acerca da intensificação do trabalho docente de Duarte, 2010; Oliveira, 2006, entre outros, e das respostas de docentes ao instrumento de coleta de dados elaborado: um questionário virtual com perguntas dissertativas e objetivas aplicado de forma remota. Os resultados da pesquisa identificaram a percepção de professores no dado contexto e evidenciam a intensificação do trabalho docente pontuando especificidades no contexto pandêmico, como: aumento da carga horária, desgaste no processo de trabalho e responsabilização pelo sucesso do ensino remoto.

 

Referências

ALVES, G. Toyotismo e Subjetividade: As formas de desefetivação do trabalho vivo no capitalismo global. Org&Demo, v. 7, n. 1/2, p. 89-108, jan-jun/jul-dez, 2006.

ARAUJO, S. C. L. G.; YANNOULAS, S. C. Trabalho docente, feminização e pandemia. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 14, n. 30, p. 754-771, set./dez. 2020. Disponível em <http://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde/article/view/1208>. Acesso em: 20 jan. 2021.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BORGES, K. P. Trabalho, precarização e adoecimento docente. Curitiba: Appris, 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Coronavírus Brasil. Disponível em: <https://covid.saude.gov.br/>. Acesso em 03/02/2020.

DUARTE, A. M. C. Intensificação do trabalho docente. In: OLIVEIRA, D. A.; DUARTE, A. M. C.; VIEIRA, L. M. F. DICIONÁRIO: trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: UFMG/Faculdade de Educação, 2010.

GOIÁS (Estado). Conselho Estadual de Educação. Resolução CEE/CP Nº 05, de 01 de abril de 2020. Altera a Resolução CEE/CP N. 02/2020 que dispõe sobre o regime especial de aulas não presenciais no Sistema Educativo do Estado de Goiás, como medida preventiva à disseminação da COVID-19. Disponível em: <https://cee.go.gov.br/wp-content/uploads/2020/04/Resoluc%CC%A7a%CC%83o-CEE-CP-N.-05-2020.pdf.pdf. Acesso em 04/05/2020>.

GOIÁS (Estado). Conselho Estadual de Educação. Resolução CEE/CP Nº 08, de 24 de abril de 2020. Altera a Resolução CEE/CP N. 02/2020 que dispõe sobre o regime especial de aulas não presenciais no Sistema Educativo do Estado de Goiás, como medida preventiva à disseminação da COVID-19. Disponível em: <https://cee.go.gov.br/wp-content/uploads/2020/04/ACESSE-A-RESOLU%C3%87%C3%83O-08-2020-.pdf>. Acesso em 04/05/2020.

GOIÁS (Estado). Decreto n. 9633 de 13 de março de 2020. Dispõe sobre a decretação de situação de emergência na saúde pública do Estado de Goiás, em razão da disseminação do novo coronavírus (2019-nCoV). Diário Oficial do Estado de Goiás, Goiânia, 13 de mar.2020. Ano 183, n. 23.257, p.1.

GOIÁS (Estado). Secretária Estadual de Educação. Nota técnica da SES/GO nº 1/2020, de 15 de março de 2020. Disponível em: <https://www.saude.go.gov.br/files/banner_coronavirus/notatecnica.pdf>. Acesso em 04/05/2020.

OLIVEIRA, A. L. A espacialidade aberta e relacional do lar: a arte de conciliar maternidade, trabalho doméstico e remoto na pandemia de covid-19. Rev. Tamoios, São Gonçalo (RJ), ano 16, n. 1, Especial COVID-19. pp. 154-166, maio 2020. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/tamoios/article/view/50448/33479. Acesso em 03/11/2021.

OLIVEIRA, D. A. Regulação educativa na América Latina: repercussões sobre a identidade dos trabalhadores docentes. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 44, p. 209-228, dez. 2006.

SOUZA, K. R.; et al. Trabalho remoto, saúde docente e resistências coletivas em contexto pandêmico: a experiência de docentes da rede particular de educação. In: AFFONSO, C.; et al (Orgs.). Trabalho docente sob fogo cruzado. Rio de Janeiro: UERJ, LPP, 2021.

Downloads

Publicado

2022-05-02

Como Citar

BORGES, K. P.; ARAÚJO, C. H. dos S.; OLIVEIRA, A. S. de. Intensificação do trabalho docente: uma análise do contexto do ensino remoto em Goiás. Revista Triângulo, Uberaba - MG, v. 15, n. 1, p. 133–151, 2022. DOI: 10.18554/rt.v15i1.6165. Disponível em: https://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/revistatriangulo/article/view/6165. Acesso em: 3 dez. 2022.