A sociologia da educação de Bourdieu e a pobreza

aportes na análise das desigualdades educacionais

Autores

  • Estela Caroline Freitas Melo Universidade Federal do Triângulo Mineiro
  • Natalia Aparecida Morato Fernandes Universidade Federal do Triângulo Mineiro

DOI:

https://doi.org/10.18554/rt.v15i2.6236

Palavras-chave:

Pobreza. Bourdieu. Desigualdades.

Resumo

Este artigo relaciona a pobreza no Brasil com as possibilidades de acesso e êxito na educação. Mediante pesquisa bibliográfica, contextualiza sobre as características da pobreza no país e, orientado pela teoria de Bourdieu, privilegiando seu olhar sobre a educação como um processo social que contribui para a reprodução e conservação das desigualdades, intenta provocar questionamentos sobre o sistema educacional. Conclui que a educação, sozinha, não é um instrumento capaz de superar todos os limites impostos às diferentes classes sociais do país, mas se configura como estratégia fundamental de transformação social.

Biografia do Autor

Estela Caroline Freitas Melo, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Mestranda em Educação pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM com bolsa CAPES. Psicóloga graduada pela Universidade de Uberaba - Uniube (2016), possui especialização em Psicopedagogia Clínica e Institucional (2019). Membro do Grupo de Pesquisa Política, Educação e Cultura (GPPEC) vinculado a UFTM na linha de pesquisa Políticas de Educação e Democracia no Brasil. Estagiária docente da disciplina Sociedade e Cultura do curso de Psicologia/UFTM. Profissional com experiência em atendimento, acompanhamento e apoio psicológico de pacientes. Hábil no acolhimento à famílias, prestando orientações e auxílio emocional em situações de risco e vulnerabilidade social. Atua como psicóloga social do terceiro setor e psicóloga clínica particular. Pesquisa sobre educação, pobreza, vulnerabilidades sociais e inclusão.

Natalia Aparecida Morato Fernandes , Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Possui graduação em Ciências Sociais (bacharelado e licenciatura) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1997), mestrado em Sociologia (2001) e doutorado em Sociologia (2006) ambos pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Atualmente é professora associada (nível III) da Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Departamento de Filosofia e Ciências Sociais. É professora do Programa de Pós-Graduação em Educação, linha de pesquisa Fundamentos e Práticas Educacionais. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia da Educação e Sociologia da Cultura, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, políticas educacionais, Pibid e ensino médio.

Referências

BOURDIEU, Pierre. A génese dos conceitos de habitus e de campo. In: BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. 12. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2009. p. 59-73.

BOURDIEU, Pierre. A escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. In: NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI, Afrânio. (org.). 9. ed. Escritos de educação. Rio de Janeiro: Vozes, 2007. p. 39-64.

BOURDIEU, Pierre. O capital social – notas provisórias. In: NOGUEIRA, M.A.; CATANI, A. (org.). 9. ed. Escritos de educação. Rio de Janeiro: Vozes, 2007. p. 65-69.

BOURDIEU, Pierre. Os três estados do capital cultural. In: NOGUEIRA, M.A.; CATANI, A. (org.). 9. ed. Escritos de educação. Rio de Janeiro: Vozes, 2007. p. 71-79.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean-Claude. A Reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Tradução: Reynaldo Bairão. 7. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2019.

CODES, Ana Luiza Machado de. A trajetória do pensamento científico sobre pobreza: Em direção a uma visão complexa. Brasília: IPEA, 2008. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/TDs/td_1332.pdf. Acesso em: 14 ago. 2020.

DEMO, Pedro. Política Social, educação e cidadania. 13. ed. Campinas: Papirus, 2012.

GIDDENS, Anthony; SUTTON, Philip W. Conceitos essenciais da Sociologia. Tradução: Claudia Freire. 2. ed. rev. São Paulo: Unesp, 2017.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

JACCOURD, Luciana. O Programa Bolsa Família e o combate à pobreza: reconfigurando a proteção social no Brasil?. In: CASTRO, J. A.; MODESTO, L. Bolsa Família 2003-2010: avanços e desafios. Brasília: IPEA, 2010. P. 101-135. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/livro_bolsafamilia_vol1.pdf. Acesso em: 14 ago. 2020.

NOGUEIRA, Cláudio. M. M.; NOGUEIRA, Maria Alice. A sociologia da educação de Pierre Bourdieu: Limites e contribuições. Educação e Sociedade, ano XXIII, nº 78, Abril/2002. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v23n78/a03v2378.pdf. Acesso em 17 Ago. 2021.

NOGUEIRA, Maria Alice; NOGUEIRA, Cláudio M. Martins. Bourdieu & a Educação. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2021.

SOARES, Sergei Suarez Dillon. Metodologias para estabelecer a linha de pobreza: objetivas, subjetivas, relativas, multidimensionais. Rio de Janeiro: IPEA, 2009. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/TDs/td_1381.pdf. Acesso em: 14 ago. 2021.

Downloads

Publicado

2022-08-12

Como Citar

FREITAS MELO, E. C.; MORATO FERNANDES , N. A. A sociologia da educação de Bourdieu e a pobreza : aportes na análise das desigualdades educacionais. Revista Triângulo, Uberaba - MG, v. 15, n. 2, p. 57–68, 2022. DOI: 10.18554/rt.v15i2.6236. Disponível em: https://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/revistatriangulo/article/view/6236. Acesso em: 6 out. 2022.