A importância do pensamento socrático para o ensino de filosofia na Educação Básica

Autores

  • Laércio de Jesus Café Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM
  • Regina Maria Rovigati Simões Universidade Federal do Triângulo Mineiro

DOI:

https://doi.org/10.18554/rt.v15i2.6242

Palavras-chave:

Educação. Filosofia. Ironia. Maiêutica.

Resumo

O presente estudo tem por objetivo apresentar a importância do pensamento socrático para o ensino de filosofia na educação básica, considerando a relevância, a observância e a prevalência do método socrático na contribuição para o avanço de novas metodologias na educação alcançando uma formação humanitária e libertadora do ensino e do ser humano. Focaremos na característica da filosofia socrática de condicionar seus discípulos a uma reflexão sobre suas próprias afirmações e conclusões, mostrando a carência e a superficialidade do que é conhecido, estimulado uma autorreflexão na busca de autonomia e conhecimento, por meio da ironia e da maiêutica, associada a valorização da crítica e do pensamento autônomo do aluno em busca da virtude e do bem viver. As considerações convergem na percepção de como o pensamento socrático renova os ensinamentos para nossa realidade, orientando para a erudição, o exercício da cidadania e a construção de um conhecimento crítico e social.

Biografia do Autor

Laércio de Jesus Café, Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM

Possuo Graduação em Filosofia pela Universidade Católica Dom Bosco-UCDB (2008), Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso-UFMT (2016), Especialização em Língua Portuguesa e Literatura em Língua Portuguesa pela Universidade do Estado de Mato Grosso-UNEMAT (2010), Mestrado em Filosofia pela Universidade Federal de Uberlândia-UFU (2017). Doutorando em Educação pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro-UFTM (2021-2024). Atualmente sou Professor Efetivo de Filosofia na Escola Estadual Antonio Souza Martins, Ituiutaba/MG. Tenho experiência em Pedagogia com as áreas: história e filosofia da educação, formação de Professores, Educação Infantil, inclusão e EJA; na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia Política, Ética, Educação e Pragmatismo, atuando principalmente como professor de Filosofia, Introdução a Filosofia, Filosofia da Educação, Filosofia Pragmática, Estudos Filosóficos em Foucault, Filosofia Política, Ética, Antropologia e Práticas de Ensino.

 

Regina Maria Rovigati Simões, Universidade Federal do Triângulo Mineiro

 

Referências

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: Introdução à Filosofia. São Paulo: Moderna, 1996.

CERLETTI, Alejandro. O ensino de Filosofia como problema filosófico. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

CHAUÍ, Marilena. Filosofia: Ensino Médio. Volume único. São Paulo: Ática, 2005

KIERKEGAARD, Soren. O conceito de ironia constantemente referido a Sócrates. 2. ed. Tradução de Álvaro Valls. Bragança Paulista: EDUSF, 2005.

NUSSBAUM, Marta. Cultivating Humanity. Harvard University Press, 1997.

PLATÃO. Ditos e feitos memoráveis de Sócrates. (Coleção os Pensadores). São Paulo: Editora nova cultura, 1996.

PLATÃO. Diálogos: Teeteto e Crátilo. Tradução de Carlos Alberto Nunes. 3. ed. Pará: Editora universitária UFPA, 2001.

REALE, Giovanni; ANTISERI, Dario. História da filosofia: Filosofia Pagã Antiga. 3.ed. São Paulo: Paulus, 2003.

RORTY, Richard. Contingência, ironia e solidariedade. São Paulo: Martins, 2007.

Downloads

Publicado

2022-08-12

Como Citar

DE JESUS CAFÉ, L.; SIMÕES, R. M. R. . . A importância do pensamento socrático para o ensino de filosofia na Educação Básica. Revista Triângulo, Uberaba - MG, v. 15, n. 2, p. 69–75, 2022. DOI: 10.18554/rt.v15i2.6242. Disponível em: https://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/revistatriangulo/article/view/6242. Acesso em: 7 out. 2022.