Fomento da formação do senso crítico dos alunos do Ensino Médio Integrado por meio do gênero textual charge

Autores

  • André Luís Rodrigues Costa Instituto Federal do Triângulo Mineiro
  • Hugo Leonardo Pereira Rufino Instituto Federal do Triângulo Mineiro

DOI:

https://doi.org/10.18554/rt.v17i1.6867

Palavras-chave:

Gênero Charge, Ensino-Aprendizagem, Senso Crítico

Resumo

Este artigo apresenta um estado da arte, partindo do seguinte questionamento: A utilização do gênero charge integrada e articulada na prática docente e tem impacto positivo na formação do leitor discursivo-crítico, de forma a promover o pensamento crítico dos alunos? Tem como objetivo elencar os benefícios de se utilizar o gênero textual charge, como recurso didático, no estímulo do senso crítico dos alunos. Os resultados indicaram importantes aspectos que estão inseridos na ideia de senso crítico, dentre eles: a intertextualidade, a contextualização da realidade e a leitura crítica. Conclui-se que os trabalhos analisados demonstraram que a utilização do gênero multimodal charge é benéfica e tem impacto positivo na formação do leitor discursivo-crítico. Além disso, ressaltam a importância de uma abordagem integrada e articulada na prática docente, visando o fortalecimento das habilidades textuais dos estudantes e sua preparação para interagir socialmente por meio de textos em diversos gêneros e contextos sociais.

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. Tradução de Paulo Bezerra. 1. ed. 1. reimp. São Paulo: Editora 34, 2017.

BAZERMAN, Charles; Angela Paiva Dionisio (Organizadora), Judith Chambliss Hoffnagel (Organizadora e Tradutora). Escrita, gênero e interação social. 2. ed. Recife: Pipa Comunicação, Campina Grande: EDUFCG, 2021. v. 3. 328 p.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Secretaria de Educação Básica. Brasília: MEC/SEB, DICEI, 2013. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=13448-diretrizes-curiculares-nacionais-2013-pdf&Itemid=30192> Acesso em: 27 de abr. 2023.

CARVALHO, José João de. Letramento e retextualização: uma análise no ensino médio. 2014. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/16842?mode=full. Acesso em: 22 mar. 2023.

CIAVATTA, Maria. A formação integrada: a escola e o trabalho como lugares de memória e de identidade. In. FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M; RAMOS, M.(orgs). Ensino Médio Integrado: concepção e contradições. São Paulo: Cortez, 2005.

D'ALMAS, Juliane. Leitura crítica: um estudo da aprendizagem de alunos-professores de inglês. 2011. 153 fls. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2011. Disponível em: <http://www.uel.br/projetos/etica/pages/arquivos/Bibliografia/DALMAS_2011.pdf> Acesso em: 27 abr. 2023.

FERREIRA, Norma Sandra de Almeida. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Revista Educação & Sociedade, Campinas, n. 79, p. 257-272, Ago. 2002.

HELBEL, Dioneia Foschiani et al. Práticas de leitura e de produção de textos na educação profissional agrícola por meio da interdisciplinaridade. 2014. Disponível em: https://tede.ufrrj.br/handle/jspui/2853. Acesso em: 22 mar. 2023.

KLEIMAN, Angela. Texto e leitor: aspectos cognitivos da leitura. 14. ed. Campinas: Pontes, 2011.

KOCH, Ingedore G. Villaça & TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Texto e Coerência. 7 ed. São Paulo: Cortez, 2000. 107 p.

LIMA FILHO, Adalberon Moreira de; MACIEL, Maria Delshirts. Sequência didática com emprego da argumentação como estratégia de ensino e do gênero charge sobre alimentos transgênicos como recurso didático. Indagatio Didactica, [sl], v. 8, n. 1, 2016. DOI 10.34624/id.v8i1.3244. Disponível em: https://proa.ua.pt/index.php/id/article/view/3244/2557. Acesso em: 13 nov. 2022.

LOPES-ROSSI, M. A. G. Procedimentos para estudo dos gêneros discursivos da escrita. Revista Intercâmbio, São Paulo, v. 25, 2006. Disponível em: <https://revistas.pucsp.br/index.php/intercambio/article/view/3680/2405> Acesso em: 26 de abr. 2023.

MATIAS, Avanúzia Ferreira. Intertextualidade e ironia na interpretação de charges. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, p. 128. 2010. Disponível em: https://repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/3596/1/2010_dis_afmatias.pdf. Acesso em: 01 abr. 2023

MOURA, Carlos Renã da Silva et al. Caderno de atividades no processo de ensino e aprendizagem de língua inglesa: uma proposta interdisciplinar em um curso integrado. 2022. Disponível em: http://repositorio.ifam.edu.br/jspui/handle/4321/865. Acesso em: 22 mar. 2023.

PESSOA, Martha Bulcão. Trabalhando a educação ambiental através de charges e artigos jornalísticos online: uma experiência com relatos dos estudantes do curso de extensão de leitura e compreensão de textos em língua francesa. Monografia (Graduação em Letras) – Universidade Federal da Paraíba - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes. p. 51. 2011.

RAMOS, Marise. Possibilidades e desafios na organização do currículo integrado. In: FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M.; RAMOS, M. (orgs.). Ensino médio integrado: Concepção e contradições. São Paulo: Cortez, 2005. p. 106-127.

SCARTON, Gilberto. Guia de produção textual: assim é que se escreve. Como realizar a intertextualidade. Porto Alegre: PUCRS, FALE/GWEB/PROGRAD, [2002]. Disponível em: https://pdfcoffee.com/guia-de-produao-textual-puc-rspdf-pdf-free.html. Acesso em: 10 abr. 2023

SILVA, Erivanildo Lopes da. Contextualização no ensino de química: ideias e proposições de um grupo de professores. 2007. 143 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponível em: <http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/marco2012/quimica_artigos/contex_ens_quim_dissert.pdf> Acesso em: 27 de abr. 2023.

SILVA, Ezequiel Theodoro da. O ato de ler: fundamentos psicológicos para uma nova pedagogia da leitura. 6. ed. São Paulo: Cortez, 1992. 2003.

SILVA, Josimar Soares da. Práticas de compreensão leitora no Ensino Médio: leitor, sentido, texto e módulo didático na sala de aula. 2019. Disponível em: http://tede.bc.uepb.edu.br/jspui/handle/tede/3594. Acesso em: 22 mar. 2023.

SILVA, Telma Cristina Gomes da. O Interdiscurso no gênero charge: um estudo do discurso humorístico sob a perspectiva da Análise do Discurso francesa. Revista Eletrônica de Linguística. Volume 6, - n° 1 – 1° Semestre 2012 - ISSN 1980-5799.

SOARES, Magda Becker. Língua escrita, sociedade e cultura: relações, dimensões e perspectivas. Revista brasileira de educação, Rio de Janeiro, n. 0, p. 5-16, set./dez. 1995. Disponível em: <https://www2.ufjf.br/pnaic/files/2018/06/LINGUA-ESCRITASOCIEDADE-E-CULTURA-RELA%C3%87%C3%95ES-DIMENS%C3%95ES-E-PERSPECTIVAS.pdf> Acesso em: 28 de abr. 2023

SOLÉ, Isabel. Estratégias de Leitura. São Paulo, SP. Artmed, 6 ed., 1998.

SOUZA, Glauber Pereira de. Leitura e compreensão textual: tessitura de propostas pedagógicas para o ensino médio integrado. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica) - Instituto Federal Catarinense, campus Blumenau. Blumenau, p. 161. 2020. Disponível em: https://educapes.capes.gov.br/handle/capes/598410. Acesso em: 18 jan. 2023.

SOUZA, Vera Lúcia Guimarães de. A Charge e o ensino de língua inglesa em curso de ensino médio integrado em meio ambiente. Intertexto, Uberaba, v. 3, n. 01, 2011. DOI: 10.18554/ri.v3i01.100. Disponível em: https://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/intertexto/article/view/100. Acesso em: 30 jan. 2023.

UNESCO. Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. Brasília. 2010.Disponível em: <https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000109590_por> Acesso em: 28 de abr. 2023.

Downloads

Publicado

2024-05-01

Como Citar

RODRIGUES COSTA, A. L.; PEREIRA RUFINO, H. L. Fomento da formação do senso crítico dos alunos do Ensino Médio Integrado por meio do gênero textual charge . Revista Triângulo, Uberaba - MG, v. 17, n. 1, p. 355–374, 2024. DOI: 10.18554/rt.v17i1.6867. Disponível em: https://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/revistatriangulo/article/view/6867. Acesso em: 12 jul. 2024.

Edição

Seção

Demanda Contínua