A geografia do povo terena e(m) práticas escolares interculturais

Autores

  • Francieli de Oliveira Meira SED/MS
  • Flaviana Gasparotti Nunes UFGD

DOI:

https://doi.org/10.18554/rt.v17i1.7285

Palavras-chave:

Jeito de Ser Terena, Geografia Terena, Práticas Interculturais, Escola Indígena

Resumo

Neste texto, trazemos parte das reflexões resultantes de uma pesquisa mais ampla que objetivou analisar como a escola tem contribuído, a partir de práticas interculturais, para a reafirmação e fortalecimento da geografia do povo Terena. Argumentamos que a escola indígena Terena é atravessada pelo “Jeito de ser Terena” que os diferencia enquanto sujeitos em relação à sociedade ocidental e os identifica enquanto povo. Apresentamos e analisamos algumas atividades desenvolvidas por estudantes e professores das escolas indígenas das aldeias Aldeinha, Bananal e Brejão, localizadas em Mato Grosso do Sul que manifestam compreensões dos Terena referentes às cosmologias, temporalidades e espacialidades, as quais constituem a geografia desse povo. Essa geografia é expressa em sua forma de organização espacial e na temporalidade que atravessa o ensino de diferentes disciplinas nas escolas, por meio de práticas, abordagens de ensino, ressignificação dos conteúdos, além dos saberes tradicionais que estão presentes em todo o ensino e na organização das escolas. Concluímos que nas relações entre a escola e o Jeito de Ser Terena, reafirma-se uma geografia Terena, presente nas ações e temporalidades da instituição escolar.

 

 

Biografia do Autor

Francieli de Oliveira Meira, SED/MS

Possui Graduação em Geografia (Licenciatura Plena) pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (2011). Mestrado em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPG), da Universidade Federal da Grande Dourados (2016). Doutorado em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPG), da Universidade Federal da Grande Dourados (2022). Atualmente é professora da Secretaria Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul (SED/MS).

Flaviana Gasparotti Nunes, UFGD

Licenciada, Mestre e Doutora em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP/Presidente Prudente) com Estágio de Pós-Doutorado na Universidade Federal do Rio de Janeiro e na Universidad de Buenos Aires. Professora Titular da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

Referências

AMADO, Luiz Henrique Eloy. Poké’exa ûti o território indígena como direito fundamental para o etnodesenvolvimento local. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável) – UCDB, Campo Grande, 2014.

AMADO, Luiz Henrique Eloy. Vukápanavo o despertar do povo terena para os seus direitos: movimento indígena e confronto político. Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.

BALTAZAR, Paulo. O Processo Decisório dos Terena. Dissertação (Mestrado em Ciências

Sociais) - Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2010.

BALTAZAR, Paulo. Geografiana óyoe têrenoe ya poké’exake toné yoko ipéakaxoti/Geografia das afetividades no território indígena Taunay/Ipegue. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Ciências Humanas, Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, 2022.

CARDOSO, Wanderley Dias. A história da educação escolar para o terena: origem e desenvolvimento do ensino médio na Aldeia Limão Verde. Tese (Doutorado em História) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

DOMINGO, Sandra Ventura; MARIA, Elisangela Castedo. Análise do comportamento socioambiental terena por meio de marcadores espaço-temporais: uma contribuição para a conservação da cultura. INTERAÇÕES, Campo Grande, MS, v. 18, n. 1, p. 59-73, 2017.

MELIÁ, Bartolomeu. Educação indígena e alfabetização. São Paulo: Loyola, 1979.

MASSEY, Doreen. Pelo Espaço: uma nova política da espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.

________. A mente geográfica. GEOgraphia, Niterói, vol. 19, n. 40, 2017.

MEIRA, Francieli de Oliveira. O Ensino de geografia nas escolas indígenas de Nioaque/MS. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados (UFGD), 2016.

MEIRA, Francieli de O. O papel da escola na (re)afirmação da geografia do povo Terena em Mato Grosso do Sul. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, 2022.

NASCIMENTO, Adir Casaro; AGUILERA URQUIZA, Hilário. Currículo, diferenças e identidades: tendências da escola indígena Guarani e Kaiowá. Currículo sem Fronteiras, v.10, n.1, p.113-132, 2010.

ORTIZ, Marisa Serrano. Valorização dos saberes astronômicos de uma Aldeia indígena terena no estado de São Paulo. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual Paulista, 2014.

TIAGO, Gilson. KIXOVOKU HÔMO TERENOE: Um estudo antropológico sobre o jeito Terena de se pinta. Trabalho apresentando na 31º Reunião Brasileira de Antropologia. Brasília/DF, 2018. Disponível em: https://www.31rba.abant.org.br/site/capa.

XIMENES, Lenir Gomes. A retomada terena em Mato Grosso do Sul: oscilação pendular entre os tempos e espaços da acomodação em reservas, promoção da invisibilidade étnica e despertar guerreiro. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados, 2017.

WALSH, Catherine. Interculturalidad, Estado, Sociedad: Luchas (de)coloniales de nuestra época. Quito: Universidad Andina Simón Bolívar/Abya Yala, 2009.

Downloads

Publicado

2024-05-01

Como Citar

MEIRA, F. de O.; NUNES, F. G. . A geografia do povo terena e(m) práticas escolares interculturais: . Revista Triângulo, Uberaba - MG, v. 17, n. 1, p. 22–38, 2024. DOI: 10.18554/rt.v17i1.7285. Disponível em: https://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/revistatriangulo/article/view/7285. Acesso em: 12 jul. 2024.