Descrição do léxico por meio de nomes de operações policiais a partir de um corpus de notícias

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18554/rs.v10i1.5508

Palavras-chave:

Lexicologia, Onomástica, Linguística de Corpus, Operações policiais

Resumo

Este trabalho tem o objetivo de mostrar os principais resultados de uma pesquisa lexical sobre nomes de operações policiais por meio de um corpus de notícias. O foco do presente estudo é analisar as informações sobre as origens dos nomes das operações apresentadas pelas notícias. Esses dados foram identificados com o auxílio de um software de análise lexical. No corpus, foram identificados 31 nomes de operações inspiradas em nomes de lugares, 28 nomes que remetem a estrangeirismos e 20 nomes que fazem alusão às Mitologias. As análises mostraram que: há operações que recebem o nome do local de onde foram realizadas, especialmente de nomes de bairros, e outras que são nomeadas com topônimos por metáfora; há o uso estrangeirismos da língua inglesa, principalmente nos casos de combate a crimes cibernéticos, e do latim; no caso das mitologias, há a preferência pela mitologia grega e há a relação de metáfora entre o nome e o elemento mitológico. As perspectivas teóricas foram embasadas na Lexicologia e na Onomástica. A metodologia foi guiada pela Linguística de Corpus.

Biografia do Autor

Guilherme Fromm, Universidade Federal Uberlândia-UFU

Doutorado em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês pela Universidade de São Paulo. Professor Associado 2 da Universidade Federal de Uberlândia.

Candice Guarato Santos, Universidade Federal Uberlândia-UFU

Letras - Português e Inglês (Licenciatura).Mestrado em Estudos Linguísticos. Doutoranda no PPGEL/UFU.

Referências

ALVES, M. I. Neologismo: criação lexical. 3 ed. São Paulo: Ática, 2007.

AULETE, F. J. C. Aulete Digital. Rio de Janeiro: Lexikon, 2007. Disponível em: http://www.aulete.com.br/. Acesso em: 22 abr. 2021.

BARBOSA, N. O. A abordagem interacionista da metáfora: um estudo semântico-lexical. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA/ CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA, 2., 2016, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2016. p. 9-29. Disponível em: http://www.filologia.org.br/xx_cnlf/cnlf/cnlf_02/001.pdf. Acesso em: 8 maio 2021.

BERBER SARDINHA, T. Linguística de Corpus. Barueri, SP: Manole, 2004.

BERBER SARDINHA, T. A influência do tamanho do corpus de referência na obtenção de palavras chave. DIRECT Paper 38. LAEL, PUCSP – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 1999. Disponível em: http://www2.lael.pucsp.br/direct/DirectPapers38.pdf. Acesso em: 15 set. 2019.

BIDERMAN, M. T. C. A estruturação do léxico e a organização do conhecimento. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 22, p. 81-96, dezembro 1987.

CARVALHINHOS, P. D. J. As origens dos nomes das pessoas. Domínios de Lingu@guem, Uberlândia, v. 1, p. 1-18, jan. 2007. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/11401/6686. Acesso em: 22 abr. 2021.

DAYRELL, C. O uso de corpora para o estudo da tradução: objetivos e pressupostos. Tradução em Revista, Rio de Janeiro, v. 2, p. 87-102, 2005. Disponível em: https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/25346/25346.PDFXXvmi=. Acesso em: 22 abr. 2021.

FROMM, G. O uso de corpora na análise linguística. Revista Factus, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 69-76, 2003. Disponível em: https://comet.fflch.usp.br/sites/comet.fflch.usp.br/files/u30/fromm_corpora.pdf. Acesso em: 30 jun. 2021.

MARTINS, S. C. Proposta de uma base de conhecimento multilíngue on-line de expressões cromáticas da Fauna e da Flora. 2017. 429 f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, São José do Rio Preto. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/148762/martins_sc_dr_sjrp.pdf?sequence=3&isAllowed=y. Acesso em: 23 abr. 2021.

MELO, P. A. G. O léxico toponímico: nomes de motivações de natureza antropocultural na toponímia de Alagoas. Nonada: Letras em Revista, Porto Alegre, v. 1, p. 244-261, maio. 2017. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=512454262016. Acesso em: 23 abr. 2021.

MICHAELIS. Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. [S.l.]: Melhoramentos, 2015. Disponível em: https://michaelis.uol.com.br/. Acesso em: 23 abr. 2021.

PAULA, M. H. D.; ALMEIDA, M. A. R. D.; REZENDE, A. D. M. Língua, cultura e léxico: confluências entre Lexicografia e Filologia. Entretextos, Londrina, v. 16, p. 7-27, jul./dez 2016. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/entretextos/article/view/16564. Acesso em: 7 maio 2021.

REZENDE, G. J. Os Diários Impressos em Minas Gerais. In: ENCONTRO NACIONAL DE HISTÓRIA DA MÍDIA UNICENTRO, 8., 2011, Guarapuava. Anais... Guarapuava: Unicentro. Disponível em: http://www.ufrgs.br/alcar/encontros-nacionais-1/encontros-nacionais/8o-encontro-2011

/artigos/Os%20Diarios%20Impressos%20de%20Minas%20Gerais.pdf/view. Acesso em: 23 abr. 2021.

SANTOS, C. G. A importância do corpus em atividades sobre neologismos. In: Simpósio Internacional de Ensino da Língua Portuguesa, 6., 2016, Uberlândia. Anais [...]. Uberlândia: EDUFU, 2016. p. 199-208. Disponível em: http://www.ileel.ufu.br/ anaisdosielp/arquivos/anais_sielp_2016.pdf. Acesso em: 30 jun. 2021.

SANTOS, C. G. A criatividade nas denominações de operações policiais: um estudo preliminar de campos semânticos a partir de um corpus de jornais mineiros. 2017. 113 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/20924/1/CriatividadeDenominacoesOperacoes.pdf. Acesso em: 30 jun. 2021.

SCOTT, M. WordSmith Tools version 6. Liverpool: Lexical Analysis Software, 2012.

SEABRA, M. C. T. C. D. Referência e Onomástica. In: MAGALHÃES, J. S. D.; TRAVAGLIA, L. C. Múltiplas perspectivas em Linguística. Uberlândia: EDUFU, v. 1, 2006. p. 1953-1960.

TEIXEIRA, E. D. A Linguística de Corpus a serviço do tradutor: proposta de um dicionário de culinária voltado para a produção textual. 2008. 400 f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8147/tde-16022009-141747/publico/TESE_ELISA_DUARTE_TEIXEIRA.pdf. Acesso em: 24 set. 2020.

ZAMARIANO, M. Reflexões sobre a questão do nomepróprio na Toponímia. Cadernos de Letras da UFF, Rio de Janeiro, v. 1, p. 351-372, 2012. Disponível em: http://www.cadernosdeletras.uff.br/joomla/images/stories/edicoes/45/diversa5.pdf. Acesso em: 23 abr. 2021.

ZAVAGLIA, A. et al. Terminologia e Tradução: o caso dos textos literários. In: ALVES, I. M., et al. Estudos lexicais em diferentes perspectivas. São Paulo: FFLCH/USP, v. 2, 2010. p. 17-34.

Downloads

Publicado

2021-07-22