NOTAS SOBRE A VARIEDADE DO ESPANHOL DE LIMA: O CASO DA EXPRESSÃO DO SUJEITO

Autores

  • Maria Mercedes Riveiro Quintans Sebold UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO
  • Heloise Cosme de Sousa Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Letras Neolatinas (UFRJ)
  • Thiago dos Santos Silva Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Linguística (UFRJ)

DOI:

https://doi.org/10.18554/ri.v13i1.4734

Palavras-chave:

presença do sujeito – variedade de Lima – sociolinguística paramétrica

Resumo

Nosso objetivo neste artigo é descrever o uso da presença/ausência do pronome sujeito no espanhol falado na variedade do espanhol de Lima. Procuramos levantar os fatores linguísticos e sociais que condicionam a presença do sujeito numa língua tradicionalmente descrita como de sujeito nulo como é o caso do espanhol. Para alcançar tal objetivo, analisamos dez entrevistas do corpus PRESEEA da variedade de Lima. Os resultados levantados nos permitem rever os dados apresentados por Cerrón-Palomino (2014) e podem contribuir para um novo olhar sobre a variedade estudada.

Biografia do Autor

Maria Mercedes Riveiro Quintans Sebold, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

Possui graduação em Letras Português Espanhol pela Universidade Federal Fluminense (1988), mestrado em Letras Neolatinas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1994) e doutorado em Línguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2005).Atualmente é Professora Associada III do Departamento de Letras Neolatinas da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Línguas Estrangeiras Modernas, atuando principalmente nos seguintes temas: espanhol língua estrangeira, aquisição de língua estrangeira, sintaxe do espanhol, formação de professores, ensino- aprendizagem de língua estrangeira e línguas próximas.

Heloise Cosme de Sousa, Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Letras Neolatinas (UFRJ)

Mestranda em Letras Neolatinas/Língua Espanhola pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), tendo como orientadora a Profa. Dra. Maria Mercedes Riveiro Quintans Sebold e possui graduação em Abi - Letras - Português - Espanhol pela mesma instituição. Foi bolsista (CNPQ) de Iniciação Científica. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Línguas Estrangeiras Modernas, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino-aprendizagem, língua estrangeira, apagamento de objeto, português língua estrangeira e animacidade.

Thiago dos Santos Silva, Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Linguística (UFRJ)

Doutorando em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Mestre em Linguística pela mesma Universidade (2019/1). Bacharel em Letras - Português/Espanhol (UFRJ, 2016). Graduação sanduíche na Universidad de Santiago de Chile (USACH). Professor Substituto do Departamento de Linguística e Filologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Faz parte do Grupo de Estudos Discurso & Gramática UFRJ. Possui principal interesse pela Linguística Cognitivo-Funcional, com estudos sobre a formação de conectores contrastivos instanciados pelo esquema [Xque], adotando o modelo de Construcionalização e Mudanças Construcionais de Traugott e Trousdale (2013).

Referências

AZPIAZU, Susana. “Simultaneity and “increased present” in the European Spanish perfect”. In: Catalan Journal of Linguistics 17, 2018 117-134 ISSN 1695-6885 (in press); 2014.

BAYLEY, Robert; PAESE-ALVAREZ, Lucinda. Null pronoun variation in Mexican-descent children’s narrative discourse, Language Variation and Change, 1997.

BENTIVOGLIO, Paola; SEDANO, M. “Investigación sociolingüística: sus métodos aplicados a una experiencia venezolana”. Boletín de lingüística, 1993.

: 3-35, 1

BERTINETTO, Marco. “The progressive in Romance, as compared with English”. In: Ö. Dahl (ed.), Tense and Aspect in the Languages of Europe, Mouton - De Gruyter, p. 559-604, 2000 http://linguistica.sns.it/PaginePersonali/Pubblicazioni_PMB/PMB/Bertinetto 2000. Progressive in Romance and English.pdf.

CAMERON, Richard & FLORES-FERRÁN, Nydia.”Perseveration of subject expression”. Across regional dialects of Spanish. In: Spanish in Context, 1:1, P. 41-65, 2004

CERRÓN-PALOMINO LÓPEZ, ÁLVARO. Ser más pro o menos pro: variación en la expresión de sujeto pronominal en el castellano limeño. Lingüística, v. 30, n. 1, p. 61-83, 2014.

CHOMSKY, N. Syntactic structures. The Hague: Mouton, 1957.

Gramática castellana, de Antonio de Nebrija – 1492 Consultada em: http://www.bne.es/es/Micrositios/Guias/12Octubre/Lenguas/Castellano/

HYMES, D. “On communicative competence”. In.: PUGH, A. K.; LEE, V. J.; SWANN, J. (orgs.). Language and language use. London: Heinemann, p 89-104, 1966.

HOLMQUIST, Jonathan. “Frequency rates and constraints on subject personal pronoun expression: Findings from the Puerto Rican highlands”. Language Variation and Change, 24, 1: 203-220, 2012.

PRESEEA: Corpus del Proyecto para el estudio sociolingüístico del español de España y de América. Alcalá de Henares: Universidad de Alcalá, 2014. [http://preseea.linguas.net].Consultado em 13 de junho de 2020.

YLLERA, Alicia. “Las perífrasis verbales de gerundio y particípio. In: Gramática descriptiva de la lengua española. Ignacio Bosque y Violeta Demonte, eds. Madri: Espasa, Vol. 2. p. 3391-3441, 1999.

LABOV, W. Sociolinguistics Patterns. University of Pennsylvania Press, Filadélfia, 1972.

MARÍA TERESA CELADA O espanhol para o brasileiro Uma língua

singularmente estrangeira Tese apresentada ao Curso de Lingüística do Instituto de

Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, 2002.

MARQUES DA CRUZ, Layz. Expressão/Omissão do sujeito pronominal no espanhol de cuba e espanha: análise e comparação de dados entre Havana e Madri. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-graduação em língua e cultura, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, 2018.

MORENO DE ALBA, José G. El español en América. 2 ed. México: Fondo de Cultura Económica, 1993.

PALACIOS ALCAINE, Azucena. Variedades del español hablado en América: una aproximación educativa. Disponível em: http://espanolcontacto.fe.uam.es/wordpress/wp- content/uploads/2017/02/ Variedades-del-espa%C3%B1ol-hablado-en-Am%C3%A9rica-una-aproximaci%C3%B3n-educativa.pdf

SOARES DA SILVA, H. Evidências da mudança paramétrica em dados da língua-E: o sujeito pronominal no português e no espanhol. 2011. 126f. Tese (Doutorado em Língua Portuguesa) – Programa de Pós-Graduação em Letras Vernáculas, UFRJ, Rio de Janeiro, 2011.

TARALLO, F. Por uma Sociolinguística Românica “Paramétrica”: Fonologia e Sintaxe. Ensaios de Linguística, UFMG, v. 13, p. 51-84, 1987.

TARALLO, F.; KATO, M. A. Harmonia trans-sistêmica: variação inter e intralinguística. In: Preedição 5. Campinas, Unicamp. p. 315-353, 1989

TRAVIS, Catherine. Genre effects on subject expression in Spanish: priming in narrative and conversation, Language Variation and Change, 2007.

Downloads

Publicado

2020-11-19

Como Citar

RIVEIRO QUINTANS SEBOLD, M. M.; COSME DE SOUSA, H.; DOS SANTOS SILVA, T. NOTAS SOBRE A VARIEDADE DO ESPANHOL DE LIMA: O CASO DA EXPRESSÃO DO SUJEITO. InterteXto, Uberaba, v. 13, n. 1, p. p. 33–54, 2020. DOI: 10.18554/ri.v13i1.4734. Disponível em: https://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/intertexto/article/view/4734. Acesso em: 25 maio. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS (Temática: "Perspectivas sociolinguísticas sobre a língua espanhola”)