A variação linguística da língua espanhola no Ensino para Fins Específicos: uma experiência no curso de Secretariado Executivo

Autores

  • Andréia C. Roder Carmona Ramires Universidade Estadual do Paraná - UNESPAR

DOI:

https://doi.org/10.18554/it.v14i1.4833

Palavras-chave:

Sociolinguística, Ensino de Línguas para Fins Específicos, Espanhol para Fins Específicos, Secretariado Executivo.

Resumo

RESUMO: A linguagem étodo oprocessoque permite a comunicaçãoentre os homens e estes, como seressociáveis, utilizam-se de uma ou mais línguas para suas interações em sociedade tornando-se, a língua, vitalpara aconvivênciahumana. Assim, a língua estabelece com a sociedade uma interligação indiscutível, posto que por meio de sua utilização acontecem as relações humanas fazendo com que as pessoas interajam em uma comunidade linguística e compartilhem, de maneira coletiva, suas histórias, suas memórias e sua cultura. Portanto, defendemos que no ensino de línguas, neste caso, Ensino de Línguas para Fins Específicos no âmbito dos negócios, os processos de ensino e de aprendizagem devem proporcionar ao aprendiz a possibilidade de desenvolvimento e/ou aperfeiçoamento de sua competência comunicativa direcionada à prática da profissão, atreladas ao conhecimento cultural da língua estudada. Objetivamos, assim, neste artigo, apresentar uma proposta didática para o ensino de língua espanhola para Fins Específicos direcionado ao curso superior de Secretariado Executivo fomentando o trabalho com a variação diatópica, utilizando-nos de contos de autores de língua espanhola nas variedades linguísticas das Américas e da Espanha. O corpo teórico que embasa nossa discussão está centrado na área da Sociolinguística. Visamos fazer com que a discussão aqui apresentada auxilie futuros trabalhos sobre o Ensino de Línguas Estrangeiras para Fins Específicos, com o fito de promover mais debates nessa área de estudo bastante profícua no âmbito do ensino de línguas.

 

 

Biografia do Autor

Andréia C. Roder Carmona Ramires, Universidade Estadual do Paraná - UNESPAR

Graduação em Letras Português e Espanhol e respectivas Literaturas pela Universidade Estadual de Londrina (2002). Pós-graduação concluída no ano de 2004. Mestrado em Letras, pela Universidade do Oeste do Paraná (UNIOESTE), concluído em 2006. Professora adjunta na Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR) - Campus Apucarana.  Doutorado concluído em 2015, pela Universidade Estadual de Londrina (programa de Estudos da Linguagem), com estágio de doutoramento na Universidad de Salamanca - Espanha, promovido pela instituição de fomento CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Tem experiência nas áreas de Sociolinguística, Lexicologia e Ensino de Língua Espanhola para fins específicos.

Referências

ALKMIN, T. M. Sociolingüística. In: BENTES, A. C.; MUSSALIM, F. (Org.). Introdução à linguística. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2003. p. 21-47.

BAKHTIN, M. (Volochinov). Marxismo e Filosofia da Linguagem. Tradução Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. 10 ed. São Paulo: Hucitec, 1999.

BELTRÁN, Blanca Aguirre. La enseñanza del español con fines profesionales. IN: SÁNCHEZ LOBATO, J; SANTOS GARGALHO, I. (2005). Vademécum para la formación de profesores – Enseñar español como segunda lengua (L2)/ lengua extranjera (LE). Madrid: SGEL.

BENEDETTI, A. M.. Variação Lingüística e gerenciamento do erro: repensando a prática docente. In: ABRAHÃO, M. H. V,; BARCELOS, A. M. F; FREIRE, M. M. Lingüística Aplicada e Contemporaneidade. Campinas: Pontes, 2005.

BORTONI – RICARDO, S. M. Educação em Língua Materna: a sociolingüística na sala de aula. São Paulo: Parábola: 2004.

CAMARGO, M. L. O ensino do espanhol no Brasil: Um pouco de sua história. Trabalhos em Lingüística Aplicada. Campinas, (43): p.139-149, Jan./Jun.2004.

CANALE, M. De la competencia comunicativa a la pedagogía comunicativa del lenguaje. In: LLOBERA, M. Competencia Comunicativa: Documentos básicos en la enseñanza de lenguas extranjeras. Edelsa, Madrid: 1995. p. 63-81.

CANALE, M. & SWAIN, M. Theoretical bases of communicative approaches to second language teaching and testing. In: Applied Linguistics, 1(1), 1980.

XXXX, A. C. R. (2006). Estudo sobre a variável voseo da Língua Espanhola no cenário escolar. 2006. 141 f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, 2006.

XXXX, A. C. R. (2012). A variante vos e o ensino de espanhol: algumas reflexões sobre o trabalho docente e materiais didáticos. Acta Scientiarum. Language and Culture. Maringá, v. 34, n. 2, p. 223-232, July-Dec..

CONDE-FERNÁNDEZ; M. R.; La enseñanza de la cultura en la clase de español de los negocios. Arco Libros, S. L. 2005. P. 39-74.

_________________________. La enseñanza de la comunicación no verbal en un curso del Español de los Negocios según la ELMT. Memoria de Máster. Universidad Antonio de Nebrija, Hanoi, 2004. Disponível em: http://www.mecd.gob.es/redele/Biblioteca-Virtual/2004/memoriaMaster/2- Semestre/FERNANDEZ-CONDE.html Acesso em: 19 de outubro de 2017.

COSERIU, E. O Homem e sua Linguagem: Estudos de Teoria e Metodologia Lingüística. Trad.: Carlos Alberto da Fonseca e Mário Ferreira. 2.ed. Rio de Janeiro: Presença, 1987.

ELIAS, N.; SCOTSON, J. L. Os Estabelecidos e os Outsiders. Rio de Janeiro: ZAHAR, 2000.

ERICKSON, F.; SHULTZ, J. “O quando” de um contexto: Questões e métodos na análise da competência social. In.: GARCEZ, P. M.; RIBEIRO, B. T. (orgs). Sociolingüística Interacional. Porto Alegre: AGE, 1998.

FARACO, C. A. Lingüística Histórica: Uma Introdução ao Estudo da História das Línguas. Ática: São Paulo, 1998, p.7-25.

FROZI, V. M.; FAGGION, C. M,; DAL CORNO, G. O. M. Estigma: Cultura e Atitudes Linguísticas. 1ª. ed. EDUSC, 2010.

GODOY, E. La cultura en la enseñanza del español y de las literaturas hispánicas. Anuario Brasileño de Estudios Hispánicos, n. 11, p. 229-248, 2001.

GOFFMAN, E. Estigma: Notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. 4 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1988.

LABOV, W. Modelos Sociolingüísticos. Madrid: Cátedra, 1983.

MARTÍN PERIS, Emesto. Diccionario de términos clave de ELE. Madrid: SGEL, 2008.

MOLLICA, C.; BRAGA, M. L., (Orgs.). Introdução à sociolingüística. São Paulo: Contexto, 2003.

MORENO, C.; TUTS, M. El español con fines especificos: “El español en el hotel”. In.: CARABELA 44. La enseñanza de español como lengua extranjera con fines especificos. Madrid: SGEL, 1998.

MORENO FERNÁNDEZ, F. Qué español enseñar. Madrid: Arco Libros, 2000.

MORENO FERNÁNDEZ, F. Princípios de Sociolinguística y Sociología del Lenguaje. 2ª ed. Barcelona: Ariel Lingüística. 2005.

NADIN, O. L.; LUGLI, V. C. P. (Orgs.) Espanhol como língua estrangeira: reflexões e propostas didáticas. Mercado de Letras: Campinas, 2013.

OLIVEIRA, M. B. Os profissionais do novo milênio. Petrópolis: Vozes, 2008.

REYES DIAS, M. J. Relación de voces que evocan ideologías, valores y actitudes socioculturales. In: REYES DIAS, M. J. (Coord.). Léxico y Cultura. Badajoz: @becedario, 2009.

SÁNCHEZ PÉREZ, A. Metodología: Conceptos y Fundamentos. In: CASADO, V. L. (coord.). VADEMÉCUM para la Formación de Profesores. Enseñar Español como Segunda Lengua (L2)/Lengua Extranjera (LE). Madrid: SGEL, 2009, p. 665-688.

SARMENTO, S. (2004). Ensino de Cultura na Aula de Língua Estrangeira. Revista Virtual de estudos da Linguagem – REVEL. Ano2, n.2. [www.revelhp.cjb.net].

SAUSSURE, F. Curso de Lingüística Geral. São Paulo: Cultrix, 1972.

SILVA-CORVALÁN, C. Sociolingüística: teoría y análisis. Madrid: Alhambra, 1989.

TARALLO, F. A pesquisa Sociolingüística. Ática: São Paulo, 1986. 2ª. ed.

Publicado

2021-09-11

Edição

Seção

ARTIGOS (Temática: "Perspectivas sociolinguísticas sobre a língua espanhola”)