ESTUDO PALEOGRÁFICO DE ABREVIATURAS VISIGÓTICAS EM DOCUMENTOS LATINO-PORTUGUESES DO SÉCULO XI

Autores

  • Leonardo Lennertz Marcotulio Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Millena Cassim Rodrigues Guedes Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

DOI:

https://doi.org/10.18554/it.v14iEspecial.5646

Palavras-chave:

Paleografia, Abreviaturas visigóticas, Documentos latino-portugueses, Manuscritos medievais, português proto-histórico.

Resumo

O objetivo deste artigo é contribuir aos estudos do período proto-histórico da língua portuguesa, a partir de uma investigação de natureza paleográfica sobre as abreviaturas visigóticas presentes em um texto medieval pertencente à documentação latino-portuguesa escrita no futuro território de Portugal: "Carta de venda feita por adosinda justiz a joão gondesindes e mulher ximena de uma herdade na vila de são vicente, território de lafões, pelo preço de 9 soldos de prata", de 1100, conservada no Arquivo Nacional da Torre do Tombo (ANTT). O estudo paleográfico das abreviaturas colabora com o processo de transcrição, edição e interpretação dos textos, além de contribuir diretamente ao desenvolvimento de estudos, com base na documentação remanescente, de estágios pretéritos da história da língua portuguesa que receberam pouca atenção por parte da literatura.

Biografia do Autor

Leonardo Lennertz Marcotulio, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Tem graduação em Português-Espanhol (2006), Mestrado em Língua Portuguesa (2008), Doutorado em Língua Portuguesa (2012) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Pós-doutorado em Linguística Histórica (2015-2016) pela Universidade de Santiago de Compostela.

Millena Cassim Rodrigues Guedes, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Licencianda em Letras: Português - Latim na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Foi bolsista de iniciação científica na mesma instituição pelo departamento de Letras Vernáculas. Atualmente é bolsista pelo conselho de pesquisa (CNPQ), na mesma categoria. É membro do Laboratório de Estudos Filológicos da UFRJ (LabEFil).

Referências

ALTURO i PERUCHO, J. La escritura visigótica. In: GALENDE DIAZ, J. C; CABEZAS FONTANILLA, S; ÁVILA SEOANE (Coord.), N . Paleografía y escritura hispánica. 1. ed. Madrid. Editorial Síntesis, S. A. 2016, p. 111-130.

AUTOR; AUTOR, 2020.

BERWANGER, A.; LEAL, J. Noções de paleografia e de diplomática. 5. ed. Santa Maria: Editora da UFSM, 2012.

CUENCAS MÚÑOZ, P. La fragmentación de la escritura latina: las escrituras precarolinas. In: TERRERO, A. R. Introducción a la Paleografía y la Diplomática General. Madrid: Editorial Síntesis, 2000, p. 73-87.

DUCHOWNY, A . T.; COELHO, S. M.; COELHO, G. H. Sistema de abreviaturas de documentos adamantinos setecentistas. Revista Letras, Curitiba, n. 90, p. 233-252, 2014. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5380/rel.v90i2.36430. Acesso em maio. 2020.

EMILIANO, A. O conceito de ‘latim bárbaro’ na tradição filológica portuguesa: algumas observações gerais sobre pressupostos e factos (scripto-) linguísticos. In: GONZÁLEZ, J. E. (org.). Lenguas, reinos y dialectos en la Edad Media ibérica: la construcción de la identidad : homenaje a Juan Ramón Lodares. Madrid: Iberoamerica, 2008, p. 191-232.

HIGOUNET, C. História concisa da escrita. 10. ed. São Paulo: Parábola, 2003.

HOUAISS, Antônio. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro, Ed. Objetiva, 2001.

MATTOS E SILVA, R. V. (Org.). Normas para transcrição de documentos manuscritos para a história do português do Brasil. In: Para a história do português brasileiro. São Paulo: Humanitas; FAPESP, 2001. (Primeiros Estudos em dois Tomos; v.2). p. 553-555.

MARÍN MARTÍNEZ, T. (org.). Paleografía y Diplomática. 3a ed. Vol. I. Madrid: Universidad Nacional de Educación a Distancia, 1988.

MUÑOZ y RIVERO, D. J. Paleografía visigoda: método teórico-práctico para aprender a leer los códices y documentos españoles de los siglos V al XII. Daniel Jorro, 1919.

NÚÑEZ CONTRERAS, L. Manual de Paleografía. Fundamentos e história de la escritura latina hasta el siglo VIII. Madrid: Cátedra, 1994.

SANTOS, M. J. A. Ler e compreender a escrita na Idade Média. Lisbo: Edições Colibri, 2000

SOBRAL, M. das G. T. Abreviaturas: uso e função nos manuscritos. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística) – Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2007. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/28200. Acesso em maio. 2021.

SPINA, S. Introdução à edótica: crítica textual. São Paulo. Editora Cultrix: Universidade de São Paulo, 1977.

Downloads

Publicado

2021-12-31

Como Citar

LENNERTZ MARCOTULIO, L.; CASSIM RODRIGUES GUEDES, M. ESTUDO PALEOGRÁFICO DE ABREVIATURAS VISIGÓTICAS EM DOCUMENTOS LATINO-PORTUGUESES DO SÉCULO XI. InterteXto, Uberaba, v. 14, n. Especial, p. 358–373, 2021. DOI: 10.18554/it.v14iEspecial.5646. Disponível em: https://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/intertexto/article/view/5646. Acesso em: 4 out. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS DOSSIÊ "Um panorama do estudo do latim no Brasil"